- Publicidade -

More

    Marcelo Rebelo de Sousa defende que Portugal deve assumir os custos da escravatura e dos crimes coloniais

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    O presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou, durante um evento com correspondentes estrangeiros nesta terça-feira (24), que o seu país é responsável pelos crimes cometidos durante a escravatura transatlântica e a era colonial. Segundo informações da DW, Marcelo sugeriu que é necessário realizar reparos em relação a esses eventos históricos.

    O presidente destacou que reconhecer o passado e assumir a responsabilidade é mais importante do que simplesmente pedir desculpas. “Pedir desculpas é a parte fácil”, afirmou ele, enfatizando que Portugal deve arcar com os custos desses acontecimentos. “Há ações que não foram punidas e os responsáveis não foram presos? Há bens que foram saqueados e não foram devolvidos? Vamos ver como podemos reparar isso”, disse.

    Durante mais de quatro séculos, 12,5 milhões de africanos foram raptados, transportados à força principalmente por navios e mercadores europeus, e vendidos como escravos. Portugal traficou quase 6 milhões de africanos, mais do que qualquer outra nação europeia.

    Share this
    Tags

    A Bombar

    “Mulher detida em Luanda após acumular dívida milionária em hotel de luxo

    Uma mulher de 36 anos assumiu uma identidade falsa de empresária e se hospedou em um hotel de luxo na região do litoral sul...

    “SIC desmantela rede de falsificação de dólares provenientes da RDC em Angola”

    O Serviço de Investigação Criminal (SIC) desmantelou uma rede de indivíduos angolanos que colaboravam com estrangeiros para introduzir dólares falsificados no país, provenientes da...

    Pinóquio: A Verdadeira História” traz emoção e diversão a 31 de Maio no ZAP Cinemas

    Luanda, 23 de Maio de 2024 – A emocionante estreia de "Pinóquio, a História Verdadeira" no ZAP Cinemas traz uma nova e divertida abordagem...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto