A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, entregou ontem, em Luanda, um contentor com 21 toneladas de produtos diversos da cesta básica, para acudir as populações afectadas pela seca extrema e prolongada no sul do país.

A acção de solidariedade do MPLA enquadra-se no âmbito da campanha “Abraço solidário, somos Angola”, lançada, em Abril, pelo Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social.

Luísa Damião disse que o MPLA juntou-se à causa solidária “por ser um gesto nobre marcado pela humildade.” A responsável indicou que acção do MPLA contou com o apoio do Gabinete de Cidadania e da Sociedade Civil, que fez a recolha dos produtos, além da participação de militantes, amigos e simpatizantes partido.

A vice-presidente do MPLA garantiu que aquele partido prima pela “solidariedade e humanismo” e, por isso, defende que é preciso, em tempo de pandemia e de catástrofes naturais, ser solidário e ajudar as pessoas que mais precisam.
Luísa Damião, que apelou à participação de todas as pessoas (singulares e colectivas), valorizou a iniciativa da campanha de solidariedade e lançou um apelo a todos os angolanos para continuarem a cultivar o sentimento de altruísmo e humanismo.

“Ser solidário é um acto de patriotismo e de amor, e entendemos que ser solidário não é dar aquilo que nos sobra, é partilhar o pouco que temos, e é isso que temos estado a observar”, realçou. “Devemos ser cada vez mais solidários e ajudar, de facto, quem mais precisa”, acrescentou.

Testemunharam à acção de solidariedade altos dirigentes do MPLA, além do ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, e responsáveis da TPA.