Depois do fracasso na Liga dos Clubes Campeões de África onde o objectivo passava, pelo menos, para as meias-finais, segundo o presidente do Petro de Luanda, Tomás Faria, aquando do sorteio da prova mais importante de África a nível de clubes, eis que a direcção do Petro de Luanda quer um técnico conhecedor do futebol africano e com currículo firmado em equipas do topo do continente berço.

Para isso, vários currículos estão à mesa da direcção do Petro de Luanda a fim de serem analisados até ao final da presente época.

Soube o Bola Em Campo, que alguns técnicos são de nacionalidades Francesa, Belga e Sérvia. Dentre eles destaca-se o belga e ex-treinador do Simba SC da Tanzânia, Svan Vanderbroek, que foi duas vezes campeão na Premier League da Tanzânia (VPL) pelo Simba SC.

Por outro lado, fonte deste portal garante que Mateus Agostinho «Bodunha» não será o técnico da equipa tricolor na próxima época, pelo que se aguarda por um treinador que vem do continente europeu.

O Petro de Luanda, que está em Marrocos para jogar a 6ª e última jornada do grupo C, frente ao Wydad Atlétic Club, é o último do grupo com apenas um ponto, volvidos seis jogos disputados.

A direcção do Petro de Luanda, vendo a actual situação do clube no contexto africano, vai também libertar alguns jogadores que visavam dar maior sustentabilidade ao plantel, mas até aqui nada trouxeram à equipa tricolor. Dentre eles destacam-se o brasileiro Maikon Leite e Joaquim Adão.

Outro facto que chama atenção é o desejo do avançado Toni Ribeiro de deixar o clube no final da época, pelo que já terá informado à direcção do clube sobre a pretensão.

Por Bola Em Campo