Plano Director de Requalificação Urbana da Península do Mussulo.

0
165

Realizou-se hoje, aos 12 de Outubro DE 2016, a primeira sessão da consulta pública do Plano Director de Requalificação Urbana da Península do Mussulo.
Nesta sessão, foi apresentado o desenvolvimento da proposta de requalificação da península do Mussulo, pelo Gabinete de Gestão do Pólo de Desenvolvimento Turístico do Funtungo de Belas e do Mussulo, assistido pelo painel de consultores:

          Urbinveste

          Broadway Malyan

          Aurecon

          Colliers

          KPMG

          Holísticos

A Urbinveste – Empresa de projectos e planeamento urbano – realiza de projectos de planeamento integrado. Apresenta e desenvolve soluções inovadoras e personalizadas, adequadas a cada local de intervenção, ao seu contexto e aos requisitos de cada projecto e suas necessidades. Especificamente na área de planeamento desenvolve soluções urbanísticas que resultam da combinação da identidade do lugar com serviços, recursos locais, meio ambiente e instalações existentes.

A Broadway Malyan (BM), que coordena a elaboração do Plano, é uma empresa global que integra mais de 500 especialistas em arquitectura, urbanismo e design, distribuídos por 16 estúdios. A BM é responsável pela coordenação técnica de projecto, planeamento urbano e elaboração de diferentes cenários para a península e desenvolvimento da visão e estratégia final preferencial para o Mussulo.

A Aurecon é uma empresa global, com mais de 7000 colaboradores com presença em diversos continentes. Em Angola, a Aurecon encontra-se presente há mais de 25 anos tendo participado em projectos de referência para o Pais. Neste projecto, e responsável pelo desenvolvimento dos transportes e todas as infra-estruturas de Engenharia.

A Colliers é uma empresa de consultoria especializada em hotelaria e turismo, análise de mercado, investigação, planeamento financeiro e consultoria operacional. No âmbito deste Plano é responsável por definir a estratégia de desenvolvimento turístico e residencial do Mussulo.

A KPMG é uma empresa com elevada experiência em estudos económico-sociais no sector das infra-estruturas. No âmbito do presente projecto, tem sob a sua responsabilidade a análise económico-financeira das diversas opções de desenvolvimento.

A Holísticos, consultores para o sector do ambiente e social, é responsável pela avaliação dos impactos ambientais e sociais e medidas de conservação ambiental para a península do Mussulo.

É premissa essencial para a elaboração deste Plano, a participação activa dos representantes dos Departamentos Ministeriais, do Governo da Província de Luanda, da Administração do Município de Belas, Administrador da Comuna do Mussulo, das comunidades residentes, gestores dos empreendimentos hoteleiros, Autoridades tradicionais da Comuna e de outras entidades interessadas, sempre com o objectivo de tornar o Plano mais inclusivo e garantir o benefício de todos.

Complementarmente, o Plano Director do Mussulo Introduzirá novas ofertas de turismo de qualidade, assegurando Hotéis e Resorts com padrão de qualidade internacional, bem como potenciará a diversificação da economia nacional e o aumento do empreendedorismo local, suportado na criação de empregos no Sector do Turismo e Lazer.

As opções de desenvolvimento deste Plano resultam da maturação de ideias concluídas com a realização dos anteriores workshop's e assentam em 5 princípios para a mudança sustentável do Mussulo, quais sejam:

  1. 1.O Mussulo precisa de ser protegido e melhorado – com a nossa ajuda o seu ambiente natural poderá ser tratado e regenerado.
  2. 2.O Mussulo precisa de unir as suas comunidades e áreas urbanas por forma a garantir acesso a serviços e emprego
  3. 3.O Mussulo precisa de oferecer um estilo de vida de qualidade aos seus moradores, proprietários de segundas residências e visitantes.
  4. 4.O Mussulo precisa de celebrar de forma sustentável a sua beleza única – para se reinventar como um destino de turismo sustentável
  5. 5.O Mussulo precisa de uma gestão sustentável a cargo de uma entidade dedicada, para garantir a protecção da paisagem e, simultaneamente, manter uma economia forte e independente como um activo para a sua capital, Luanda.
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments