Eddy Tussa, que recentemente foi coroado como príncipe do Semba, pelo Ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, falou em entrevista ao programa “Ponto de Vista” da Platina FM, que está a preparar a sua mais nova obra discográfica que poderá intitular-se “Eddy Tussa, o Príncipe do Semba”.

Há mais de cinco anos que não lança um CD, Eddy Tussa contou que o álbum vai, possivelmente, comportar 12 a 14 faixas musicais.

“Estou há um ano a trabalhar em várias obras e, inclusive, tenho uma música gravada com Carlos Burity que nos deixou há pouco tempo. Pretendo terminar a obra nos próximos meses e vou colocar ao dispor para que todos saboreiem o nosso Semba”, contou Eddy Tussa.

O Príncipe do Semba acrescentou, dizendo que em todos os seus trabalhos deve haver uma rebusca, uma valorização, para imortalizar os grandes ícones da música angolana, porque temos um cancioneiro nacional muito vasto.

“Neste álbum teremos muitas outras participaçoes e já tenho uma versão feita, cuja original é de António do Fumo, de quem sou fã, tenho também o privilégio de fazer uma do meu grande amigo, o kota Robertinho e, por sinal, desta vez, vou fazer uma do kota que já nos deixou há muitos anos, Artur Nunes”, declarou o cantor.

Vale salientar que Eddy Tussa lançou o primeiro disco a solo em 2010, no estilo Semba afro, cujo título é “Izenu Mu Tale”; Em 2012 lança o disco “Grandes mundos”, e depois, em 2017, a obra intitulada “Kassembele”.

Por: Arieth Silva (estagiária)