- Publicidade -

More

    Prodígio reflete sobre cobranças e exigências que se fazem aos músicos nas manifestações em Angola

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    “Eu só acho errado a gente particularizar os músicos, nós estamos a lutar por direitos de liberdade não para oprimir pessoas específicas”

    O rapper e compositor angolano Osvaldo Moniz, mais conhecido por Prodigio, reflectiu, nesta Quarta-feira (21), na rubrica “Café da Manhã” desta casa de rádio (96.8), sobre as cobranças e exigências que se fazem aos músicos nas manifestações em Angola.

    Na entrevista, o autor de “Mãe Zungueira” disse que não acha certo particularizar os músicos nas manifestações, e questiona o porquê que não se faz com os outros profissionais tais como: pilotos, professores, médicos, jogadores de futebol e outros. 

    “Eu só acho errado a gente particularizar os músicos, nós estamos a lutar por direitos de liberdade não para oprimir pessoas específicas (…) Por quê que o músico não deve trabalhar? será que foram ao aeroporto dizer ao piloto para não voar? porque eu fui para o Huambo de voo, será que ao piloto estão a dizer no Facebook ou no Instagram que (…) está errado por trabalhar?! ou é só o músico? ou é só um músico em Angola que tem que ser oprimido?! ou é só o músico que tem que ser chicoteado em praça pública?! o professor, não?! o médico, não?! a parteira, não?! o jogador de futebol, não?! se havia jogo no sábado? esses não devem ser oprimidos? só o músico?!”, começou por questionar.

    Para terminar, Prodígio continuou a questionar se é pelo facto do músico estar nos holofotes da vida que deve ser cobrado sua participação nas manifestações e deixou claro que não há diferença entre as necessidades da mãe do piloto com a mãe do músico. 

     “Ou o músico como está a sombra dos holofotes da vida, da fama, da sociedade, Vamos usar o músico como trampolim para aparecer? será que é isso? porque se a gente disser: oh Piloto João não vai pilotar neste dia, isso não te repercussão, mas se calhar,  se a gente disser Prodígio, já tem, mas eu vou trabalhar igual ao piloto, a dona rosa vai precisar no dia do dia que as contas dela estejam pagas igual a mãe do piloto, ou só a minha mãe é que tem que sofrer um coche, (…) esse tipo de coisas eu gosto de responder assim as claras”, indagou. 

    Refira-se que Prodígio realizará o seu grande Show intitulado “Roda de Rap” já neste fim-de-semana, dia 24 de Junho, no Lookal Ocean Club, na Ilha de Luanda.

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Africell lança campanha de diversificação de agentes com foco na criação de novos negócios:

    | A Africell está a abrir as suas portas para que empresas e particulares se tornem Agentes de Recargas Electrónicas (EVC) da Africell numa...

    ZAP proporciona momento mágico a mais de 170 crianças de lares Vidas ZAP com o grande “Show do Panda E Os Caricas”.

    Luanda, 11 de Junho de 2024 – No dia 7 de Junho, a ZAP reuniu mais de 150 crianças, na acção Vidas ZAP "Show...

    Guitarrista Texas cobra 50 mil kwanzas para colaborações musicais

    Por: Helder Lourenço O guitarrista angolano Texas revelou, em entrevista ao programa "Dia Alegre" da Platina FM (96.8), que cobra apenas 50 mil kwanzas por...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto