- Publicidade -

More

    Saiba porque O kuduro Perde Terreno para House na ótica de Kelly stress

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    O ano de 2011 não tem sido tão bom para o Kuduro, depois da febre de Dezembro do Tchuco e o Cambwa, o Kuduro tem registado uma certa baixa, mas quais foram os motivos que levaram a que isso acontecesse? Na realidade não se pode apontar facilmente um único motivo para “baixa de rendimento do Kuduro”, ora vejamos o porquê.

    O Kuduro é uma manifestação cultural vinda das periferias, sendo que quando atinge a cidade, têm a tendência de revelar níveis altos de aceitação perante as pessoas que vivem na zona urbana da cidade. Para uma música ser conhecida na cidade, é necessário investimento, e nesse caso são cerca de 200.000.00 AKZ a 300.000.00 AKZ, isso dinheiro é investido da seguinte forma, em discos graváveis que posteriormente são gravadas as músicas promocionais, que serão entregues aos mais diversos Dj´s da periferia com a quantia de 1000 a 5000 AKZ para que eles possam fazer a promoção. Outro elemento indispensável é a praça pois é necessário pagar-se 200 AKZ por toda vez que a música toca na praça, existem rapazes que com os seus aparelhos e vendas de discos passam a últimas novidades para assim chamar os seus clientes e são esses rapazes responsáveis pela promoção na praça, pois quando a música estiver na boca do povo então já tem meio caminho andado para o sucesso. Os taxistas são outros elementos nesse processo, pois eles transportam a maior parte da população periférica para a cidade, e por isso alimentam o gosto dessas pessoas, além de quanto estão não zonas urbanas, aguçam a curiosidade dos pedestres que também escutam as novidades que tocam dentro dos “Candongueiros” Táxis.

    Esse processo é somente para a música sair da periferia para a cidade, sendo que se a música for suficientemente boa terá presença garantida nas pistas de dança da cidade, mas nem sempre isso acontece. Os últimos fenómenos musicais do Kuduro: Do Cambwa, Tchuco, Windeck, Moça direita e mais outros conseguiram furar barreiras e chegar aos ouvidos de todos, mas a quantidade de músicas de Kuduro é muito superior existem milhares de músicas, nem todas são de qualidade, mas tem muita música boa que não chega aos ouvidos dos amantes da música, por causa dos meios de divulgação.

    O Roque Santeiro que fora já considerado como o Maior mercado de África foi encerrado em 2010, e o seu encerramento foi uma das grandes razões da queda de rendimento do Kuduro, pois era lá onde o kuduro era promovido, sendo que sem o Roque Santeiro os Kuduristas têm agora recorrer aos meios de promoção habituais que são a rádio, a televisão, os espectáculos e a internet. Mas agora vem o problema, pois em Angola quase tudo é dinheiro, e os Kuduristas nem sempre têm, as rádios cobram para passar, quando deviam passar de graça, pois são órgãos estatais assalariados, mas isso não acontece, “por enquanto o radialista faz a exigência, ou lhe das Kumbu, ou não tocas não – Sandocam Hip Hop a Morrer”. Sendo que estes radialistas não cobram pouco, muitos deles enriqueceram a custa da música Angolana, mas os músicos como precisam por enquanto nada fazem, mas acho que deviam se unir e criar sindicatos e associações, pois todo mundo tem de pagar sendo ele conceituado ou não. No que diz respeito aos Dj´s muitos deles também cobram e é lógico que os preços não serão iguais aos dos Djs da periferia, por isso é que muitos Kuduristas optam por citar nomes de Djs nas suas músicas, para tentar facilitar a promoção da música.

    Outros Djs se negam a tocar músicas de outros Djs, só o fazem se a música faz muito sucesso e o pessoal exige que o Dj toque, caso contrário é boicotada. No que diz respeito a televisão existem cadeias de televisão que facilitam, mas há outras que também dentro da televisão aproveitam para fazer esquemas onde as pessoas pagam para aparecer, então só aparece quem pode, ou quando existe muita solicitação do público, portanto para o Kuduro isso representa uma desvantagem enorme. A Internet é um dos mais novos espaço de promoção musical, mas ainda não tem a abrangência necessária para competir de frente com a rádio e a televisão, mas já tem ajudado bastante e já tornou numa ferramenta indispensável. Os Bloggers em Angola são todos independentes, são jovens interessados em promover a música nacional e acarretam custos para poder prestar um serviço alternativo para a população, é uma área que precisa de muito apoio e pois são elos de ligação entre Angola e o mundo.

    Com todos esses factores, um estilo musical ganhou mais espaço em Luanda, que é o House music, fruto de trabalho de vários Djs que têm trabalhado bastante para o engrandecimento desse estilo, coisa que ainda não aconteceu com o Kuduro, e por isso perde espaço todos os dias. Mas estou convicto que ainda existem pessoas interessadas em promover o estilo, sendo que com o apoio de todos iremos continuar a valorizar o estilo 100% Angolano.

     

    por Kelly Stress

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Henrique Sungo e Filipe Anjos apresentam o seu novo projeto documental intitulado “Aspiracionalismo”.

    Depois de estrear na cidade de Londres, agora é a vez da cidade da Kianda receber a Santano Produções, uma produtora audiovisual do angolano...

    Fábio Hustle admite que namoraria com Malune e revela em Live que teve 14 ex-namoradas

    Por: Helder Lourenço Na noite desta quinta-feira (18), durante uma animada Live no TikTok com a participação de 3-Fine, Elisandra Elly e outros influenciadores, o...

    Conheça Legoo, única plataforma nacional de venda de ingressos que transfere dinheiro dos promotores em 24 horas

    Criar um evento e ver o seu rendimento nunca foi tão fácil, e por esta razão, a “Legoo”, plataforma angolana lançada hoje (18) no...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto