- Publicidade -

More

    Sofia Lucas, Rosa Kanhama e Eliane Silva serão novas actrizes da peça teatral “Esquadrão Kamy”

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Por: Arieth Silva

    Para a 4.ª exibição da peça teatral “Esquadrão Kamy”, a produtora Buco’s Produções decidiu contar com um novo núcleo de actrizes entre as quais Sofia Lucas, Rosa Kanhama e Eliane Silva, que se vão juntar à Sophia Buco e Ailsa Renata.

    Em entrevista ao Platina Line, Sophia Buco, mentora do projecto, explicou que, para esta exibição da peça, preferiu fazer um casting em que foram escolhidas as actrizes Rosa e Eliane.

    Sophia acrescentou que a pretensão é fazer duas apresentações da peça em Angola, no mês de Outubro e em Novembro, no festival internacional Yesu Luso, em língua portuguesa, que vai decorrer na cidade de São Paulo, Brasil.

    É importante recordar que fizeram parte das edições anteriores de Esquadrão Kamy as actrizes: Zoé Silva, Carina Sousa, Naed Branco, Rosa Favela e Nelma Nunes.

    SOBRE A PEÇA TEATRAL ESQUADRÃO KAMY: 

    Escrita e encenada pelo dramaturgo Flávio Ferrão, a peça é baseada numa visão artística e ficção baseada em factos recolhidos pela escritora e autora do livro Heroínas de Angola escrita por Limbânia Jiménez Rodriguez Nancy.

    A obra destaca a participação de Deolinda Rodrigues de Almeida, Irene Cohen, Lucrécia Paim, Engrácia dos Santos e Teresa Afonso na luta contra o colonialismo português e a sua incorporação como combatentes do Esquadrão Kamy, coluna guerrilheira preparada e treinada em 1966 por internacionalistas cubanos e cuja arriscada missão era levar reforços desde a fronteira Congo até a primeira região político-militar, no interior de Angola. Numa penosa marcha em zona de terra queimada, o esquadrão perdeu-se e a fome dizimou uma grande parte dos combatentes especialmente de quadros. 

    Deolinda e as suas quatro companheiras sobreviveram a inclemência das condições climatéricas e de terrenos inóspitos. Empreenderam o regresso via Zaire (hoje RDC), foram presas nos arredores da pequena vila de Kamuna pela FNLA e posteriormente assassinadas no dia 2 de Março de 1966 dia da sua detenção, que ficou consagrado como o dia da mulher Angolana.

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Africell lança campanha de diversificação de agentes com foco na criação de novos negócios:

    | A Africell está a abrir as suas portas para que empresas e particulares se tornem Agentes de Recargas Electrónicas (EVC) da Africell numa...

    ZAP proporciona momento mágico a mais de 170 crianças de lares Vidas ZAP com o grande “Show do Panda E Os Caricas”.

    Luanda, 11 de Junho de 2024 – No dia 7 de Junho, a ZAP reuniu mais de 150 crianças, na acção Vidas ZAP "Show...

    Guitarrista Texas cobra 50 mil kwanzas para colaborações musicais

    Por: Helder Lourenço O guitarrista angolano Texas revelou, em entrevista ao programa "Dia Alegre" da Platina FM (96.8), que cobra apenas 50 mil kwanzas por...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto