Dois cidadãos, um homem e uma mulher, na província do Uíge, estão a ser acusados de terem matado o seu irmão com golpes de faca e, subsequentemente, terem queimado o corpo da vítima, por acreditarem que este último era feiticeiro.

A informação foi avançada pelo Serviço de Investigação Criminal, que relata o acontecimento na província do Uíge, um trabalho feito em conjunto com a Polícia Nacional, que permitiu a detenção, no domingo último, 14 de Fevereiro, de dois cidadãos angolanos, de 22 e 28 anos de idade, acusados de crime de homicídio voluntário.

O crime foi praticado, segundo o porta-voz do SIC – GERAL, Manuel Halaiwa, com recurso a uma arma branca do tipo faca, e o infeliz foi o cidadão que em vida respondia pelo nome de João Luvumbo.

Professor de 38 anos de idade, por sinal, irmão dos principais suspeitos, “o triste episódio teve lugar no bairro Mbemba Ngango, concretamente na zona 3 do município central, quando os acusados, na companhia de um terceiro irmão, este que está em fuga, concentraram-se e seguiram à residência do malogrado, convictos de que o irmão era feiticeiro, desencadearam uma confusão, tendo os seus peitos desferidos uma faca no abdômen da vítima, que conheceu a morte no local”, reporta o SIC no Jornal O PAÍS.

Depois de morto, os acusados pegaram no corpo e introduziram num pneu, atiraram gasolina e carbonizaram o mesmo. A remoção do corpo completamente carbonizado foi feita pelo SIC para a morgue do Hospital Geral do Uíge. Manuel Halaiwa garantiu que prosseguem diligências para a localização e detenção do outro irmão, neste caso o terceiro elemento que está foragido desde o passado domingo, 14 de Fevereiro.

Fonte: Jornal O PAÍS

Por: Leo Bernardo