- Publicidade -

More

    União Africana deve decidir “que país produz o quê” para combater a fome

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    A directora executiva do Centro Internacional de Comércio defende que os países africanos têm terra arável e capacidade suficiente para se alimentarem, pelo que a União Africana deve decidir “sobre que país vai produzir o quê e como”.

    “Existe terra arável, existe capacidade. Portanto, deve haver uma decisão entre os países africanos sobre quem vai cultivar o quê e como e investir nessa capacidade para fazê-lo”, disse Pamela Coke-Hamilton, em entrevista à Lusa à margem do fórum afro-caribenho para o comércio e o investimento, que decorreu na semana passada em Barbados.

    A diretora do Centro Internacional de Comércio, uma agência multilateral que opera sob o guarda-chuva das Nações Unidas, disse que África tem capacidade para se alimentar e só não o fez ainda porque existe um sistema que obriga a que tudo tenha de ser importado.

    Lembrou que 42% das importações africanas de trigo provêm de um só país, a Ucrânia, pelo que apelou a uma decisão política e ao subsequente financiamento, através de instituições como o Banco Africano de Desenvolvimento ou o Banco Africano de Exportações e Importações (Afreximbank).

    “Os líderes, a União Africana, devem tomar uma decisão, tal como a CARICOM [Comunidade das Caraíbas] tomou a decisão de reduzir a dependência da importação de alimentos em 25% até 2025. África tem de tomar uma decisão semelhante para garantir que não acontece novamente que uma crise possa provocar uma insegurança alimentar de forma tão súbita”, disse Coke-Hamilton.

    A invasão em fevereiro da Ucrânia pela Rússia, dois dos maiores exportadores mundiais de cereais, contribuiu para agravar a escassez alimentar nas regiões mais pobres do mundo, algumas das quais vivem já uma situação de fome severa e subnutrição.

    No Corno de África, uma das regiões mais afetadas do mundo, mais de 37 milhões de pessoas enfrentam uma situação de fome, com aproximadamente sete milhões de crianças menores de cinco anos a sofrer de malnutrição aguda, segundo alertou em agosto a Organização Mundial de Saúde.

    Apesar dos esforços para retomar as entregas dos cereais ucranianos através do Mar Negro, desde o início do ano registou-se uma quebra de 46% das exportações destes bens, segundo a Cruz Vermelha internacional.

    Organizado pelo Afreximbank e o Governo de Barbados sob o lema “Um Povo. Um Destino. Unir e Reimaginar o nosso Futuro”, o AfriCaribbean Trade and Investment Fórum (ACTIF2022), que decorreu em Barbados entre 01 e 03 de setembrou, visou fortalecer os laços económicos entre África e as Caraíbas, região que a União Africana considera a sexta região de África.

    O Centro Internacional de Comércio (ITC, na sigla em inglês) é uma agência multilateral que possui um mandato conjunto com a Organização Mundial do Comércio e as Nações Unidas através da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento.

    Com sede em Genebra, o ITC apoia os países menos desenvolvidos a melhorar a sua participação na economia mundial e a realizar os seus objetivos de desenvolvimento através das exportações.

    Share this
    Tags

    A Bombar

    MDC- Mundo da Casa celebra 10 anos de existência no mercado angolano

    Texto: Sara Rodrigues Foto: Carlos Bento  Neste Sábado, o shopping MDC-Mundo da Casa, localizado na via expressa, em Luanda, celebrou 10 anos de existência no mercado...

    Premier Bet e Platinaline premiam atletas na segunda edição da Corrida dos Melhores

    Na manhã de domingo, 3 de dezembro, a Premier Bet e a Platinaline realizaram a segunda edição da Corrida dos Melhores, em Angola. O...

    Kota Manda lança álbum “100 Segredos” em todas as plataformas digitais

    O renomado artista @kota_manda acaba de lançar seu mais novo álbum intitulado "100 Segredos", que já está disponível em todas as plataformas digitais. Composto...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto