- Publicidade -
">
InícioGeralWime Bráulio recebe ameaças por contracenar com Juddy da Conceição

Wime Bráulio recebe ameaças por contracenar com Juddy da Conceição

- Publicidade -
">
Nosso eterno Kizua, que estará em palco no dia 5 de Setembro, para com o Quim fasano e Juddy da Conceição levarem ao público a peça teatral  “Comemos com ela”, falou recentemente sobre a sua vida, destacando a sua contracenação com uma das mulheres mais desejadas do país, Juddy da Conceição.
“Olha, tenho recebido muitas ameaças por estar todos os dias com ela. Entendo a ansiedade e stress dos fãs, mas quero pedir aqui a calma do pessoal, pois se trata apenas de representação”, começou por dizer Wime Bráulio, enfatizando que não é fácil contracenar com uma mulher linda e super desejada, e que tem sido super profissional.
Sobre a transição do “Kizua”, do seriado conversas no quintal, para o Wime do Didascalhas, o actor diz sentir falta do tempo que jogava basquetebol no quintal mais famoso de angola.
As novas propostas teatrais têm elevado a arte, trazendo Glamour e uma maior expansão. Alguns críticos condenam o chamado teatro elitista, que ao ver do Wime , não existe: “Existe para mim teatro de referência. Pra mim não há teatro de elite. O teatro é pra todos. Se tivéssemos estruturas diferenciadas talvez teríamos alguma elite, mas somos nós por nós, existem sim aqueles que estão a fazer diferente como o caso da Didacascalhas, que estão a renovar algumas percepções tradicionais do teatro, descobrindo novos actores, novo público e novas formas de se apresentar”, concluiu.
- Publicidade -spot_img
Mais recentes
Artigos relacionados
- Publicidade -

3 COMENTÁRIOS

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tunísia Da Silva
Tunísia Da Silva
1 mês atrás

Força aí mano, Vitória na guerra 🙏

Capitão
Capitão
1 mês atrás

Faz uma participação crime de ameaças contra o sujeito e continua com a tua agenda de trabalho és uma referência no teatro

José Diogo
José Diogo
1 mês atrás

Angola e não angola senhor editor.