- Publicidade -

More

    Yudi Fox aposta na sua “introdução” ao mercado musical

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Wolder Vicente António, carinhosamente chamado Yudi Fox, autor da hit “Moça louca”, é um jovem de 23 anos de idade, angolano músico e compositor no estilo kizomba mas que prioriza a versatilidade musical.
    Hoje, reconhecido por suas canções que têm agradado o público, começou a fazer música há bastante tempo, mas a levar a carreira a sério recentemente.

    DSC_0016.jpg

    Paixão pela música: surgiu muito cedo, porque eu já tinha muito gosto pela música e me foi fácil ingressar nesta carreira.

    Incentivo: Na verdade eu não fui incentivado por ninguém, é uma paixão antiga, inclusive a minha mãe até achava chato esta minha inclinação à música. Depois comecei a me caracterizar ao Znóbia, pelo facto de fazer o mesmo estilo musical.

    Preferências musicais: chega a ser difícil dizer o nome de um artista, porque eu admiro todo e qualquer artista que faça música de qualidade no mercado angolano e pelo mundo a fora.

    Relação com as fãs: a minha relação com as fãs é uma das melhores, porque para mim é gratificante que eles estejam a acompanhar e a apreciar o meu trabalho.

    Dificuldades encontradas: eu confesso que não tive dificuldades, porque desde os meus 13 anos vivi em Portugal por influência de boa música angolana. Então me foi fácil a inserção no mundo da música. Eu não tive dificuldades no princípio porque eu nem levava isto a sério.

    Estado civil e sobre a vaidade: solteiro (risos). Mas não me considero tão vaidoso, para mim o importante é me vestir e sentir-me a vontade.

    Estilo musical: Já fiz kuduro, tarraxinha, kizomba mas eu caracterizo-me como um artista versátil…priorizo a versatilidade nos estilos musicais.

    Álbum: estávamos a criar um álbum, mas para plataformas digitais (online) estava tudo concluído mas parou para alguns acréscimos, foi daí então que surgiu o “ Moça Louca”. Mas em Fevereiro sairá o Single de 5 faixas musicais intitulado “Introdução” porque é isto que aconteceu comigo, estou a me introduzir no mercado musical.

    Reconhecimento: na altura as pessoas conheciam as músicas mas não conheciam o autor, hoje a minha imagem é associada a minha música e sinto-me bem assim, valorizado e é uma mais valia para a minha carreira.

    Moça louca: não é uma música muito difícil de fazer porque eu a criei a base de batidas na produtora. Só depois é que achei a melodia interessante e escrevi algo, lá ficou a música feita e hoje é este sucesso que para mim foi inesperado. Alcançar novos horizontes e levar o estilo tarraxinha mais a sério.

    Outra paixão: eu amo MMA, é algo que eu já fazia com muito bom gosto, mas hoje não faço por falta de tempo e disponibilidade. Até porque praticar exercícios é sempre bom. E não tenho uma alimentação arregrada porque como de tudo inclusive um bom funje.

    Regresso à Angola: vivi 13 anos em Portugal, e ao chegar à Angola notei mudanças positivas, creio que está muito melhor hoje. Vi lugares bonitos que só me dizem que há evolução.

    DSC_0017.jpg

    Texto: Tamura Munga

    Fotos: Silvânio Ramos

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Henrique Sungo e Filipe Anjos apresentam o seu novo projeto documental intitulado “Aspiracionalismo”.

    Depois de estrear na cidade de Londres, agora é a vez da cidade da Kianda receber a Santano Produções, uma produtora audiovisual do angolano...

    Fábio Hustle admite que namoraria com Malune e revela em Live que teve 14 ex-namoradas

    Por: Helder Lourenço Na noite desta quinta-feira (18), durante uma animada Live no TikTok com a participação de 3-Fine, Elisandra Elly e outros influenciadores, o...

    Conheça Legoo, única plataforma nacional de venda de ingressos que transfere dinheiro dos promotores em 24 horas

    Criar um evento e ver o seu rendimento nunca foi tão fácil, e por esta razão, a “Legoo”, plataforma angolana lançada hoje (18) no...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto