- Publicidade -

More

    Yuri San: “Existem regras para ser dj, não basta ter um computador apenas”

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Iniciou a sua carreira em 2003, Paulo Osvaldo Pedro Victorino ou Dj Yuri San se preferir, é residente na província de Luanda propriamente no bairro da Mutamba, trabalha como dj profissional há 6 anos. Em entrevista à Platina Line o mesmo contou-nos sobre a sua carreira profissional

    Ideia de ser Dj: Bem a ideia de ser disc jockey foi repentinamente tipo estava em casa a ouvir música achei que não devia apenas ouvir, devia fazer mais, daí surge a ideia de ser um disc jockey, estou nessa caminhada há 13 anos e como profissional há 6 anos.

    Casas nocturnas: Falando de casas nocturnas, toquei em poucas casas de renome, mas passei em algumas que são: Df Club, Lookal , Kalahari, Twenty bar club, Bico do sapato bar longe etc. E do resto são festas privadas.

    Preferências musicais: Sou um Dj Versátil quando estou a tocar, toco todos estilos de música, mas um dos estilos musicais que mais gosto é a Kizomba.

    Apoio familiar: Posso assim dizer que foi a minha mãe que indicou-me a pessoa com quem fui aprendendo, mas não tive o apoio total por parte deles.

    Produtora: Eu como dj não pertenço a nenhuma produtora e não pretendo aderir à nenhuma por enquanto.

    Melhor Dj de Angola: Na minha opinião pessoal não temos melhor dj de Angola, mas temos alguns djs que representam Angola além fronteiras.

    Inspiração: Tive como fonte de inspiração o Dj Znobia, era na época em que o Znobia estava no topo.

    Sobre o mercado angolano: O mercado Angolano na categoria dj se eu disser que está bom, estaria a mentir. É triste isso que acontece e de lamentar, de facto os djs já não estão a respeitar o que é ser um disc jockey, está tudo “bagunçado”, peço aos meus colegas que estão a começar a carreira agora, que tenham calma porque existem regras para ser dj, não é apenas ter um simples computador.
    Dificuldades: Quando não tens apoio dos familiares encontramos sempre dificuldades, uma delas foi obter o material para ser dj, e não só, ter festas também foi uma das dificuldades, hoje em dia o nosso mercado está bastante competitivo cada dia surgem novos disc jockeys muito bons. Mas lamento a falsidade que rola no nosso círculo.

    Projectos: Quero expandir primeiro o meu nome, depois talvez prosseguir com o plano de criar um projecto.

     

    10547901_530981597002791_8440636598246059545_o.jpg

    Texto: Iraneth da Cruz

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Shopping fortaleza incentiva as crianças a adoptarem práticas sustentáveis

    Com o objectivo de educar e entreter as crianças neste mês especial, o Shopping Fortaleza disponibilizou gratuitamente uma série de actividades que promovem valores...

    Passing Toloba pede ao Presidente da República que institua o Dia Nacional do Kuduro em Angola: “Por favor”

    Por: Sara Rodrigues Através dos microfones do PLATINALINE, o controverso kudurista Passing Toloba apelou ao Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, para instituir uma...

    Eduardo Paim “chora” após singela homenagem de Calado Show

    Por: Helder Lourenço O consagrado Rei da Kizomba, Eduardo Paim, emocionou-se ao ser homenageado num evento intimista em Luanda pelo humorista Calado Show. Com palavras...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto