- Publicidade -

Visit arnan.me
More

    Graduados militares angolanos em Cuba sentem-se “abandonados” e suplicam pelo retorno à pátria

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Por: Stella Cortêz

    Após concluírem a formação na Republicana Cubana, 85 militares graduados pelo Ministério da Cultura sentem-se entristecidos, aflitos e desesperados por falta de informações concretas à propósito a data exacta para o regresso a Angola.

    Os angolanos, que se mostram injustiçados pelo alegado desinteresse do Estado angolano em relação ao retorno à pátria mãe, destacam que este apenas priorizou os civis e esqueceu-se completamente dos militares graduados.

    “Depois de terem concluído a formação superior, na primeira quinzena de Junho, os jovens, como qualquer estudante no exterior do país, aguardam pelo retorno à casa, porém até a data presente continuam à espera, sem quaisquer justificações por parte das autoridades competentes. Estamos conscientes da situação da pandemia da covid-19 que assola o mundo, apenas desejamos estar juntos dos nossos familiares”, disseram.

    Os militares contam, ainda, que a 9 de Setembro, foram submetidos ao PCR “Teste de covid-19”, elemento que os fez acreditar na perspetiva de uma possível viagem que aconteceria no dia 11 de Setembro, juntamente com os graduados do INAGBE.

    “Infelizmente, um dia antes da data marcada para a viagem, fomos informados que o voo foi cancelado, sem qualquer justificativa. Os graduados do INAGBE manifestaram-se e foram enviados dois voos, tendo levado todos eles, isso nos dias 5 e 12 de Outubro. Indignados, questionamos em relação ao sucedido e a resposta foi que ‘dois voos tinham sido fretados pelo INAGBE’, e nós deveríamos aguardar porque o Ministério da Defesa não colaborou para a nossa retirada de Cuba”, contaram.

    Aflitos com a situação, os graduados militares suplicam pela intervenção de quem é de direito. “Neste momento, estamos hospedados nas academias e, nas duas temos casos assintomáticos, entramos em contacto com o senhor Coronel Carlos Cunga, o agregado militar na República de Cuba, a resposta dele foi que ‘o Estado Cubano vai vos reunir boas condições para não apanharem Covid-19’, até hoje, nunca tivemos nenhum contacto com o nosso representante na República de Cuba. Estamos totalmente abandonados pela Jefatura angola, que está em Cuba e pelo Ministério da Defesa da República de Angola.”

    Share this
    Tags

    A Bombar

    TAAG põe fim a acordo com Hi-Fly e volta a assegurar na totalidade voos Luanda-Lisboa

    No seguimento do plano de manutenção e recuperação da frota e, no sentido de responder melhor às necessidades do mercado e a estratégia de...

    Hildebrando de Melo na 15º Bienal de Havana em Cuba

    A 15ª Bienal de Havana, que ocorrerá de 15 de novembro de 2024 a 28 de fevereiro de 2025, contará com a presença do...

    Florêncio Handanga homenageia legado musical do pai com lançamento de “Ya papa”

    Florêncio Handanga, filho do saudoso músico Justino Handanga, irá lançar uma nova música intitulada “Ya papa” no próximo dia 18 de Maio, como uma...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto