Por: Stella Cortêz

Live no Kubico, projecto cujo objectivo inicial consistia em quebrar a monotonia vivida durante a fase de confinamento imposta pela covid-19, bem como angariar donativos para acções filantrópicas, foi o grande vencedor da categoria Programa Musical de Tv, na quarta edição dos prémios Angola Comunica.

Sarchel Necésio, um dos responsáveis do projecto simbolizado por muitos como de momentos de exaltação ao patriotismo e resgate da identidade cultural, valores que foram muito bem vincados em cada actuação dos músicos que passaram pelo mesmo palco, falou a propósito da satisfação de ver mais um trabalho reconhecido.

“É regozijante, extremamente confortável sermos coroados por um trabalho intensivo realizado todos os domingos, em quase dez meses, sem repouso, acima de tudo, isso mostra aquilo que também foi a iniciativa, em termos de recepção por parte do público, do palco da diversidade cultural, pois o Live no Kubico foi realmente uma festa da família e momento de resgate que os angolanos tinham perdido”, disse.

Sobre a segunda temporada da iniciativa que em pouco tempo transformou as tardes de domingo dos angolanos residentes em território nacional e na diáspora em momentos de animação e descontração, o CEO do PLATINALINE esclareceu:

“Estamos a preparar, para breve, começar com todo o afinco e dinâmica, traremos outro formato, ou seja, nesta segunda temporada, o Live no Kubico será exibido quinzenalmente, temos muitas novidades interessantes para os telespectadores”, fez saber.

Importa salientar que, na primeira edição participaram, entre vários, os seguintes artistas angolanos de referência: Bonga, Paulo Flores, Eduardo Paim, Yuri da Cunha, Matias Damásio, Don Caetano, Patrícia Faria, Edmázia Mayembe, Puto Português, Euclides da Lomba, Yola Semedo, Ndengues do Kota Duro, Socorro, As Gingas, Santos Católica, Sassa Tchokwe, Ary, Versáteis e Justino Handanga.