- Publicidade -

More

    Ménage a trois em 3D choca Cannes

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Gaspar Noé já nos habituou ao seu cinema de provocação. E tal como esperávamos, Love não se livra de ser considerado o filme mais chocante de Cannes 2015. Aliás, sentiu-se o incómodo dos jornalistas com as cenas de masturbação, ménage a trois e todas as variantes ‘hardcore’, incluindo orgias e uma cena de sexo com um travesti.

    Esse aviso de sexo explícito já havia sido dado quando o próprio comunicou que estava a preparar “um filme porno de três horas e em 3D”. Apesar de se ter ficado pelas duas horas e um quarto, foi o suficiente para Love ter sido relegado para a secção das Sessões da Meia Noite, em vez obter espaço na Seleção Oficial. Não fosse a decisão de tornar explícito todo o sexo – que é muito – e provavelmente estaria no concurso para a Palma de Ouro.

    Noé concretiza assim um desejo antigo. Na verdade, uma ideia que é mesmo anterior a Irreversível. Durante as entrevistas de promoção desse filme, aqui mesmo em Cannes, em 2002, o próprio nos confessara em entrevista que tinha sugerido o tema a Vincent Cassel e a Monica Bellucci, que acabaram por não aceitar.

    Incapaz de encontrar atores conhecidos capazes de concretizar tal demanda, Gaspard Noé teve de se servir de atores desconhecidos. Mas que acabam por cumprir o seu papel com eficácia.

    Karl Glusman e Ayomi Muyock investem-se nos papéis do casal Murphy e Electra. Eles estão apaixonados e encaram o sexo com abertura. Por isso, após um momento de desinibição com a vizinha Omi (Klara Kristin), envolvem-se numa longa cena de sexo em grupo. De resto, a própria narrativa visa apenas cumprir um fio discreto para alimentar a evolução de uma relação romântica, desde a descoberta inicial, a experimentação até se tornar destrutiva.

    Ao longo desse percurso, o realizador deita por terra qualquer tipo de tabu relativamente à forma como o sexo é mostrado no cinema. Nada é simulado e tudo é mostrado. A única diferença é que no género pornográfico a concentração é no ato em si, ao passo que em Love o sexo faz apenas parte da relação afetiva. Mesmo sem ser uma obra-prima – muitos jornalistas apuparam o filme – ficamos satisfeitos por saber que Love existe.

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Angola Chora a Perda do Ícone do Basquetebol, Ângelo Victoriano

    Hoje, sábado, Luanda acorda envolta em tristeza pela partida do antigo capitão da Selecção Nacional de Basquetebol, Ângelo Victoriano, aos 55 anos, vítima de...

    Kwenda Magic estreia talent show nacional “O Caça-Talentos”

    O canal de televisão da DStv Kwenda Magic estreia no próximo dia 14 de abril, um novo programa na sua grelha, um talent show...

    Unitel junta-se ao Programa de Estágio Profissional do INEFOP

    INEFOP e a UNITEL oficializaram a parceria estratégica por via da assinatura do Memorando de Entendimento para a promoção do desenvolvimento profissional dos jovens...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto