O Presidente da República, João Lourenço, recomendou, nesta terça-feira, aos órgãos de justiça do país, celeridade e rigor contra os crimes de vandalismo, destruição e roubo de bens públicos.

Ao discursar na cerimónia de abertura do ano judicial 2021, o Chefe de Estado disse tratar-se de um novo tipo de crime que tende a se alargar e agravar no país.

João Lourenço disse ser importante que os cidadãos tomem conhecimento que os autores deste novo tipo de crime vêm sendo julgados e condenados exemplarmente.

“Enquanto isso não acontecer com alguma frequência, estaremos a encorajar o crescimento deste tipo de crime”, referiu.

Nesta perspectiva, defendeu a necessidade do aprimoramento da organização administrativa judiciária, a gestão judiciária e dos recursos humanos e das infraestruturas.

Na sua intervenção, o Presidente da República defendeu, de igual modo, a implementação da solução informática para os tribunais, o alargamento dos patrocínios judiciários para a população mais desfavorecida, a criação das condições para a inauguração, em breve, dos outros Tribunais, previstos no âmbito da reforma judiciária em curso.

João Lourenço afirmou que o país está a trabalhar “arduamente” na criação de um bom ambiente de negócios que atraia o investimento privado.

Uma das peças fundamentais do novo ambiente de negócios, de acordo com o Chefe de Estado, é sem sombra de dúvidas uma Justiça mais independente, credível, eficaz e eficiente.

Apelou aos funcionários dos órgãos de justiça a encararem “com seriedade” os desafios do futuro, cumprindo desta forma com zelo o papel que lhes compete.