- Publicidade -

More

    Rose Palhares da Kivesty fala à Platina Line

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios


     

    A pensar na mulher africana moderna, elegante, simples mas sem esquecer as suas raízes, a Kivesty tem uma vasta gama de peças que combinam a elegância com as cores vivas dos panos africanos.Com um vasto leque de modelos, tamanhos, cores e os melhores acabamentos, a kivesty permite ao cliente encontrar um estilo único.

    Fundada em 2010, a Kivesty destaca-se pela sua especialização em tecidos africanos, num estilo urbano, com uma linha variada de moda feminina.

    Falamos com a Estilista da marca, Rose Palhares que encontra-se a preparar a abertura do seu primeiro Show Room em Luanda.

     


    Como surgiu a paixão pela moda?

    A paixão pela moda nasceu comigo mesma, desde muito nova que sempre soube o que quis fazer, sabia que queria ter uma fabrica de tecidos e fazer muita roupa para as minhas bonecas e com o tempo o sonho permanece o mesmo, só substituí as bonecas pelas Mulheres.

     

    E o projecto Kivesty como surgiu?

    Como todos os sonhadores, idealizamos sempre o jeito que vamos dar rumo e realizar os nossos sonhos e a Kivesty é um projeto que sempre quis realizar, sempre tive muitas ideias, e ainda surgem todos os dias,  para que a kivesty seja uma marca com posicionamento no mercado angolano e quem sabe chegar aos 4 cantos do mundo.

     

     

    O que a inspira na criação dos modelos?

    A kivesty é uma marca direcionada à mulheres confiantes, de personalidade, mulheres que sabem o que querem, para além de me inspirar no estilo dos anos 50, tento fazer coleçoes que  qualquer mulher ao vestir uma peça da kivesty, se sinta sensual, confiante e acima de tudo única. tudo me inspira, para um criador tudo ao redor é um ponto de partida e eu identifico me muito com a sensualidade e feminiliade dos anos 50 e à Mulher Angolana.

    Acredita que os modelos africanos são uma forte tendência nas passerelles?

    Sem dúvida, e já temos visto peças semelhantes, motivos étnicos. Podemos ainda não estar a ser reconhecidos mundialmente mas o nicho de moda em África já está muito forte e com bastante força para sair do nosso continente.

     

     

    Irá abrir um Show Room em Luanda, fale-nos desse projecto

    Há mais ou menos 1 ano lancei a kivesty no mercado através de um website e foi notória a necessidade das clientes sentirem os tecidos, provarem as peças e também a carência de hábitos no que diz a compras via internet. Todos estes dados pela equipa levantados levou-nos a pensar em abrir um showroom, um espaço onde poderão encontrar coleçoes da kivesty, peças complementares e onde também podem fazer pedidos exclusivos sob medida. Todo este espaço foi pensado ao promenor para que a satisfação dos nossos clientes seja total, tanto na mulher que vai efectuar a compra, bem como do eventual cavalheiro que possa acompanha-la.

    Como classifica a mulher Angolana actual?

    A mulher angolana cada vez mais tem se tornado uma mulher do mundo, em termos de moda, tornaram se muito fashionistas, muito mais ligadas à moda, mais presentes na sociedade em todos os aspectos, mais donas da sua voz. Sempre foram mulheres de atitude e sinonimo de força e isso tem se visto cada vez mais, tanto nos desfiles de moda, nos programas de televisão, jornais, na política e no dia-a-dia…

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Heavy C diz não ouve artistas da nova geração e ressalta que há muita mesmice

    Por: Vanilson Gourgel  Considerado por muitos como um dos melhores produtores musical de Angola, Heavy C, disse que não ouve as músicas feitas pela nova...

    Conheça o futebolista com cabelo mais longo do mundo

    Por: Helder Lourenço O avançado da selecção de Anguilla, Aedan Scipio, que pertence à CONCACAF, tornou-se viral no último fim-de-semana, durante a data FIFA, visando...

    “Todas as minhas despesas são pagas por conta do digital”, afirma Liliano Pedro

    Por: Liliana Victor  Pesembora muitos criadores de conteúdo, afirmarem que em Angola é quase inviável viver exclusivamente do digital, Liliano Pedro contrariou tal ideia, dizendo...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto