- Publicidade -

More

    Terça feira Dia de Novos Valores: Joe D'Almeida o Talentoso Escritor Angolano

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Joe de Almeida, que assina como Joe D’Almeida, nasceu em 15.11.1972 na Lunda Norte, porém passou grande parte da infância em Malange, posteriormente em Luanda. Viveu alguns anos em Portugal e reside em Londres desde 2004.

     


    Escritor, compositor e poeta Joe ama a arte de enfatisar as palavras, a poesia, a lirica, assim como o belo do trocadilho no significado das palavras, a prova disso é a sua obra poética que será publicada em breve.


    Desde 2003 passou a explorar uma outra área da literatura, a prosa; neste momento escreve seu primeiro romance que estará pronto em alguns meses, além de ser colunista na revista KHANITA.

     

     

    PLATINA_CAN_2012_468X60


    Também trabalha para o Studio Fire (www.studiofire.org) onde escreve e compõe músicas para o DJ Patrick, Santana e Melody.

     

    veja alguns dos poemas do Joe

     

     

    Sou Capaz…

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Sou capaz de não sofrer
    Sofrendo assim ,
    Me isolando sem querer
    Por essa dor sem fim

    Sou capaz de não viver
    Morrendo, enfim
    Nos sonhos que me impedem
    De ter
    A vida que diáriamente
    Roubam de mim ,

    Sou capaz de me perder
    Tanto é o medo de me achar
    Na vã glória de vos ver
    D’alma sofro por vos amar ,

    Sou capaz de não escrever
    Os versos sófregos por vós
    Pois sinto a voz do peito
    Emudecer
    Por essa dor que divido a sós

     

    Sexo Convexo

     

     

     

     

     

     

     

     

    Mordisco os teus medos
    Viajo na tua libido
    Decifro os teus segredos
    Deixas-me híbrido ;
    Poetiso os teus gemidos
    Faço pouso no teu ninho
    Conto os pôros e pruridos
    Gravo em tí meu remoínho;

    Pinto o teu não no meu sim
    Desvendo a arte e a magia
    Atinjo o ponto G e o fim
    Dou-te hedonismo e alegria;

    Dá-me um clone do teu sexo
    Dar-te-ei um éxtase convexo.

    Perpetuar-te a fim

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Silencias os meus gemidos
    Vou bem fundo
    Dou comigo sem mim

    No ámago dos teus sentidos
    Bem profundo
    Teu éxtase não tem fim ,

    Vivencias os meus pruridos
    Explorando o meu mundo
    Exalando jasmim

    Destes teus olhos queridos
    Ousei decifrá-los à fundo
    E descubrí um sem fim

    De outros eus em um
    Te querendo todos eles
    Perpetuar-te a fim ….


    Share this
    Tags

    A Bombar

    Casal presidencial passeia pelas dunas do Parque Nacional do Iona

         O Presidente da República andou de moto nas dunas do Parque Nacional do Iona. Um momento de descontracção com o qual lançou um...

    TAAG põe fim a acordo com Hi-Fly e volta a assegurar na totalidade voos Luanda-Lisboa

    No seguimento do plano de manutenção e recuperação da frota e, no sentido de responder melhor às necessidades do mercado e a estratégia de...

    Hildebrando de Melo na 15º Bienal de Havana em Cuba

    A 15ª Bienal de Havana, que ocorrerá de 15 de novembro de 2024 a 28 de fevereiro de 2025, contará com a presença do...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto