Os serviços intermunicipais dos transportes colectivos urbanos de Luanda da transportadora Tcul estão suspensos desde segunda-feira, 26 de abril, devido à greve que foi decretada pela comissão sindical.

De acordo com o primeiro Secretário da comissão Sindical da CG-SILA na TCUL, Domingos Palanca, os trabalhadores exigem respostas relativamente ao caderno reivindicativo remetido no dia 19 de Março do corrente ano.

Entre as várias reivindicações constantes no caderno destaca-se o reajuste salarial, pagamento regular e pontual dos ordenados, bem como a exigência do fim dos despedimentos de trabalhadores ao arrepio da Lei Geral do Trabalho em vigor no país.

O sindicalista adiantou, ainda, que a greve será suspensa se a entidade patronal apresentar uma tabela salarial actualizada que atenda aos interesses dos trabalhadores, a criação de uma comissão para avaliar o processo de despedimentos e a suspensão ou retirada do excesso das horas de trabalho sem direito a horas extraordinárias.

Vale salientar que com mais de três décadas de existência, a TCUL transporta diariamente pelo menos 100 mil passageiros, em todo o país.

 

Por: Neusa Sambumba (estagiária)