Trinta anos depois, a MTV já não é só música

0
119

O canal sofreu uma grande mudança na última década

 

Se calhar com a música dos Buggles previa-se que a nova televisão fizesse desaparecer as estrelas da rádio mas o facto é que isso não aconteceu, até aos dias de hoje. A MTV não apagou as vozes da rádio mas deu-lhes antes uma cara, uma imagem e mais do que isso uma personalidade, uma atitude. E isso mudou a forma da música ser consumida. Criou novos ídolos, novos estilos, uma nova moda e uma nova forma de se ouvir música.

Quando a 1 de Agosto alguns milhares de pessoas, não muitos, só os que na altura tinham televisão por cabo, viram a partir das televisões em suas casas, o nascimento do canal, não imaginariam talvez que este se viesse a tornam um marco na cultura popular, com alcance mundial, actualmente um negócio franchise, com vários canais “irmãos”. Hoje a MTV é uma marca poderosa que une não só artistas como editoras e fãs. Já não vive só de música como também de cinema e reality shows, muitos. Acompanhar o dia-a-dia da polémica família de Ozzy Osbourne ou a relação da cantora Jessica Simpson e Nick Lachey foram alguns dos primeiros grandes reality shows e que serviram como ponto de partida para outros desse género. Em frente às câmaras da MTV foram tantas as celebridades que se expuseram como aquelas que o canal foi lançando para a ribalta ao longo dos anos.

 

Das pequenas às grandes produções

Quando surgiu a MTV, o mundo da música na televisão era ainda um universo por descobrir. Um novo desafio para os artistas que com orçamentos pequenos se faziam destacar na “caixa mágica”. Duran Duran, Peter Gabriel e Dire Straits foram alguns dos primeiros mas quando em Dezembro de 1983 Michael Jackson aparece na televisão com o vídeo de 14 minutos de “Thriller”, um clássico na história dos “telediscos” realizado por John Landis, a forma de pensar a música para a televisão acabaria inevitavelmente por mudar, aproximando-se cada vez mais das produções cinematográficas. A Michael Jackson seguiu-se Madonna com as suas grandes produções. 

Sempre em cima dos últimos acontecimentos musicais, a década de 1990 ficaria também ela marcada pelo surgimento do grunge. Ainda hoje o concerto MTV Unplugged dos Nirvana é recordado, continuando a ser um dos álbuns da banda de Kurt Cobain mais procurados nas lojas. A televisão continuava a crescer e tinha acabado de chegar à Europa, a 1 de Agosto de 1987, sendo por isso preciso renovar a imagem e procurar nova programação. Abandonando a ideia de 24 horas de música, a MTV começou a introduzir na sua programação vários programas temáticos de entretenimento, um dos mais mediáticos foi o programa de animação “Beavis and Butthead”. 

A televisão do real
Hoje, mais do que música, a MTV é o canal da vida real com um público jovem e uma lógica comercial. Evoluiu e adaptou-se aos tempos modernos e muitos poderão questionar-se se este terá sido o percurso certo, mas a opção do canal parece colher os seus frutos. Programas sobre jovens adolescentes grávidas, famosos que mostram as suas casas, solteiros que procuram parceiros em frente às câmaras, dramas familiares, principalmente juvenis, notícias de escândalos que envolvem os famosos, formam a programação central do canal. Pessoas comuns, desconhecidas e com problemas parecem ser os ingredientes que garantem os números. Depois existem os programas dos artistas, o 50 Cent que procura um agente ou a Paris Hilton que quer arranjar uma nova melhor amiga. E só depois, lá pelo meio, surge a música, não esquecendo os desejados Video Music Awards, que desde 1984 premeiam o que de melhor se faz na música e nos vídeos. Ao bom estilo irreverente da MTV, este é sempre um dos acontecimentos mais esperados do ano, onde acontece sempre uma ou outra peripécia.

Entre mudanças e novas apostas, entre música e episódios da vida real a MTV celebra hoje o seu trigésimo aniversário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui