Vice-Presidente da República faz apelo à condução

0
248

Na qualidade de coordenador do Conselho Nacional de Viação e Ordenamento do Trânsito, órgão de consulta do Titular do Poder Executivo relativas à viação e ordenamento do trânsito a nível nacional, o Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, dirigiu este domingo, 15.11.2020, uma mensagem por ocasião do 15.º Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada, a qual transcrevemos na íntegra:

“Este Domingo, 15 de Novembro de 2020, assinala-se o 15.º Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada. Uma efeméride internacional que evoca dois valores universais essenciais para a humanidade: solidariedade e compaixão.

Solidariedade para com os que, devido a um evento trágico e repentino, viram as suas vidas temporária ou para sempre transformadas, ficando obrigados a conviver com as marcas na memória ou no próprio corpo.
Compaixão por aqueles que, por um desastre nas nossas estradas, viram desaparecer para sempre um familiar ou um amigo.

Infelizmente, não são poucos os que em Angola foram afectados por esse flagelo. Os dados oficiais não deixam qualquer margem para dúvidas: a sinistralidade rodoviária é a segunda causa de morte depois da Malária, sendo que nos últimos 10 meses (de Janeiro a Outubro) o país registou um total de 8.106 acidentes (menos 776 que no ano anterior), 1.600 mortos (-336) e 9.360 feridos (-308).

Neste dia, além do nosso veemente apelo a uma condução prudente e responsável, rendamos uma homenagem pública a todos os que, tragicamente, perderam a vida nas estradas ou viram as suas vidas, as vidas das suas famílias, empresas e comunidades, privadas da sua plena contribuição para prosperidade e desenvolvimento.
Como órgão de consulta de Sua Excelência João Manuel Gonçalves Lourenço, Titular do Poder Executivo, em matérias relativas à viação e ordenamento do trânsito a nível nacional, associamo-nos à dor daqueles que, fruto de uma fatalidade nas estradas angolanas, revivem todos os dias o trágico momento em que perderam um familiar ou ente querido, ou simplesmente deixaram de desfrutar de saúde ou condição física plena.
Mas importa recordar que sinistralidade rodoviária é um problema grave à escala mundial. Essa foi a principal razão que levou a Assembleia Geral das Nações Unidas a aprovar a Resolução n. 60/A, de 25 de Outubro de 2005, instituindo o terceiro domingo do mês de Novembro como o DIA MUNDIAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DA ESTRADA.
A Organização Mundial da Saúde (OMS), por sua vez, estima que anualmente em todo mundo perde a vida mais de 1 milhão de pessoas e que os acidentes rodoviários constituem a principal causa de morte e de incapacidade física e psicológica entre os adolescentes e jovens dos 10 aos 25 anos de idade.

Ao assinalarmos o 15º ano desde a institucionalização dessa efeméride pela ONU, devemos ter a coragem de assumir que é possível fazer um pouco mais e melhor. E devemos fazê-lo perfeitamente cientes das inúmeras limitações e desafios com que se deparam todos os dias, quer os agentes e oficiais destacados no terreno para ajudar a regular e fazer fluir o trânsito rodoviário, como as entidades políticas e administrativas.
Unamo-nos para reforçar a importante função social, económica e estratégica das estradas e tornando-as espaços de civismo e cordialidade.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui