As autoridades sanitárias anunciaram, nesta quarta-feira, a morte de 9 pacientes que se encontravam internados nas unidades sanitárias vocacionadas aos doentes com Covid-19.
Trata-se da primeira vez que o país regista mais de 5 óbitos m 24 horas, elevando para 487 o número de mortes desde o registo do primeiro caso positivo de Covid-19, em Março de 2020, em Angola.

As vítimas mortais englobam a lista de pacientes que se encontravam internados em estado crítico, com outras cormobilidades.

Com este número de óbitos, aumenta para 2.4 por cento a taxa de letalidade da pandemia no país.

A província de Luanda registou 6 mortes, enquanto às províncias do Bié, Huambo e da Huíla registaram, cada uma, um óbito, envolvendo pacientes cujas idades variam dos 4 aos 80 anos, sendo três do sexo masculino e seis do sexo feminino.

Os dados foram revelados pelo secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, na habitual conferência de imprensa de actualização do quadro epidemiológico.

Franco Mufinda anunciou ainda o registo de 54 novos casos, sendo 31 em Luanda, 7 em Cabinda, 5 no Huambo, 1 em Benguela, 1 na Huíla, 1 no Moxico e 1 no Bié. Dos novos pacientes, cujas idades variam dos 6 aos 59 anos, 26 são do sexo masculino e 21 do sexo feminino.

O quadro epidemiológico nacional inclui a recuperação de 64 pacientes, dos quais 33 foram registadas em Luanda, 13 no Huambo, 9 na Huíla e 9 na Lunda Norte.

Os laboratórios processaram 1.629 amostras na base da biologia molecular (RT-PCR), uma taxa de positividade diária de 2.9 por cento.

Angola soma 20.210 casos positivos, com 487 óbitos, 18.687 recuperados e 1.036 activos. Dos activos, 8 estão em estado crítico, 7 graves, 81 moderados, 75 com sintomas leves e 865 assintomáticos.

Cento e vinte e uma pessoas cumprem quarentena institucional, 171 encontram-se internados e 1.886 estão sob vigilância epidemiológica.