O director nacional das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Matias Manuel da Silva Borges, informou hoje, quinta-feira, no Huambo, que a operadora de telefonia móvel “Africell” entra em funcionamento em Dezembro deste ano.

Vencedora do concurso internacional realizado em 2020 para operar no mercado angolano, a par da Angola Telecom, MOVICEL e UNITEL, essa operadora norte-americana existe há mais de vinte anos.

Angola é o quinto mercado africano onde o grupo Africell vai ter operações, juntando-se ao Uganda, Serra Leoa, Gâmbia e República Democrática do Congo, onde tem uma base de 12 milhões de clientes.

Em declarações à ANGOP, sobre o ponto de situação do processo de certificação da quarta operadora no país, o responsável fez saber que, depois da conclusão do processo concursal, a operadora tem vindo a trabalhar internamente com as autoridades angolanas, para o início das operações no país, a partir de Dezembro deste ano.

Além dos serviços de telefonia móvel e internet, Matias Manuel da Silva Borges avançou que a Africell vai, igualmente, disponibilizar os serviços de televisão digital e mobile Money, que consiste no envio de dinheiro à distância, com recurso a telefones.

Referiu que, com a certificação da Africell, espera-se um novo paradigma neste sector em Angola, através da inclusão de novos serviços e oportunidades em termos de impactos de redução de preços, para que a população tenha capacidade de escolha em termos de serviços prestados pelas operadoras.

Com a entrada da Africell no mercado angolano, no quadro das estratégias de melhoria dos serviços móveis, de acesso universal à internet para a edificação de uma sociedade de informação, combate à info-exclusão e aumento da literacia digital, espera-se a criação de mais de seis mil empregos em Angola, com um investimento inicial de 300 milhões de dólares.