- Publicidade -

More

    Por que Adele não colocou seu novo álbum no Spotify ou Apple

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Ao restringir seu novo álbum “25” nos serviços streaming da Apple Music e Spotify, Adele está jogando com sua maior força: seu amplo apelo.

    A cantora britânica é uma das raras artistas cujo fascínio se estende por vários grupos demográficos, de adolescentes no YouTube e Spotify a adultos que frequentam lojas de discos ou frequentam o iTunes.

    Executivos da música gostam de compará-la a um filme de quatro quadrantes, o jargão para blockbusters como “Os Vingadores” e “O Mundo dos Dinossauros” que atraem homens e mulheres, jovens e velhos.

    Adele e a divisão de música da Sony Corp. estão apostando que clientes de todas as idades vão querer tanto o disco dela que irão até as lojas de discos e no iTunes para comprar uma cópia em números maiores do que nunca.

    A compra de discos dá mais lucro ao artista e à discográfica do que serviços de streaming. Projeções da primeira semana para “25” variam chegando a mais 2,5 milhões de unidades, o que seria a maior venda de um lançamento desde que a Nielsen começou a monitorar as vendas de discos em 1991. Custa US$ 10,99 em pré-encomenda no iTunes, da Apple Inc.

    Adele já teve problemas com o Spotify antes sobre música grátis. Inicialmente, ela reteve seu álbum “21” porque o serviço se recusava a limitar as músicas para assinantes pagos. Taylor Swift fez a mesma coisa no ano passado com “1989”, apesar de ter permitido que o disco fosse incluído no serviço de streaming Apple Music após a estreia do serviço.

    “Amamos e respeitamos Adele, assim como os seus 24 milhões de fãs no Spotify”, afirmou a empresa na quinta-feira em um comunicado enviado por e-mail. “Esperamos que ela dê a esses fãs a oportunidade de desfrutar de ‘25’ no Spotify junto com ‘19’ e ‘21’ em breve”.

    Pandora Media Inc, pioneira em rádios na web, que trabalha com regras diferentes que seus rivais de streaming, terá acesso ao álbum e vai oferecê-lo aos clientes em poucos dias.

    É fácil ver por que todos querem estrelas como Adele, cujo apelido é Adkins.

    O último disco da cantora britânica já vendeu mais de 11 milhões de cópias nos EUA, atingindo essa marca mais rápido do que qualquer artista em mais de uma década. Swift conseguiu a maior semana de vendas em 12 anos com “1989”.

    Ao contrário de Swift, que é mais popular entre os ouvintes mais jovens, Adele tem mais presença entre consumidores mais velhos.

    Mais adultos compraram discos on-line e em lojas em 2011 graças a “21” de Adele, de acordo com Russ Crupnick, analista de MusicWatch.

    Crupnick credita a Adele a diminuição temporária do declínio nas vendas totais de álbuns nos EUA. Nesse país, depois que as vendas da indústria da música caíram 11 por cento em 2010, subiram 0,2 por cento em 2011 antes de voltarem a cair.

    Mesmo assim, é um risco deixar o streaming de fora. Estes serviços mais recentes surgiram como uma importante fonte de receitas desde 2011, quando representaram cerca de 10 por cento.

    No primeiro semestre de 2015, o streaming on-line cresceu para 32 por cento de todas as vendas de música nos EUA, compensando a queda nas compras de CDs e singles digitais, de acordo com um relatório da Recording Industry Association of America.

    Esse crescimento explica por que alguns analistas e executivos questionam a decisão de Adele de limitar o acesso ao seu álbum.

    O hit single do disco “Hello”, que está disponível no Spotify, já está perto do topo das paradas, e o vídeo da canção foi visto mais de 400 milhões de vezes no YouTube em menos de um mês.

    Abençoado com um hit certeiro, os executivos da indústria fonográfica repetem um mantra simples: não mexam com os fãs.

    O crescimento dos serviços de streaming não impediu que recebessem o desprezo dos artistas mais populares do mundo quando lançam novos discos.

    Um streaming ainda não é tão valioso quanto uma venda, e a popularidade de uma canção no YouTube e no Spotify pode indicar que uma música é um sucesso.

    Fãs de Beyoncé e Adele sempre podem fazer streaming dos discos mais tarde, quando as vendas começam a desacelerar.

     

    Exame/Platinaline 

    Share this
    Tags

    A Bombar

    “Mulher detida em Luanda após acumular dívida milionária em hotel de luxo

    Uma mulher de 36 anos assumiu uma identidade falsa de empresária e se hospedou em um hotel de luxo na região do litoral sul...

    “SIC desmantela rede de falsificação de dólares provenientes da RDC em Angola”

    O Serviço de Investigação Criminal (SIC) desmantelou uma rede de indivíduos angolanos que colaboravam com estrangeiros para introduzir dólares falsificados no país, provenientes da...

    Pinóquio: A Verdadeira História” traz emoção e diversão a 31 de Maio no ZAP Cinemas

    Luanda, 23 de Maio de 2024 – A emocionante estreia de "Pinóquio, a História Verdadeira" no ZAP Cinemas traz uma nova e divertida abordagem...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Visit arnan.me

    Mais como isto