Entrevista exclusiva Karina Barbosa

0
532

karina_perfil

Hoje temos esta figura incontornável da moda e eventos de Angola, Karina Barbosa. Uma daquelas mulheres que podemos afirmar que é personificação de virtudes como beleza, charme, profissionalismo, caráter, dignidade, criatividade, empenho e agora também superwoman, já que é mãe de crianças adoráveis. Apaixonada pela vida e pelo seu trabalho cedeu-nos gentilmente a honrar de celebrar o primeiro ano de vitórias da Platina, falando sobre moda, eventos, Vui Vui, Big Nelo, seus filhos, cuidados de saúde e de beleza. Com clareza, sem rodeios e com muita simpatia, respondeu a todas questões feitas por Sarchel Necésio e por leitores da Platina espalhados pelo mundo. Desfrute com exclusividade, a mais esperada entrevista do ano.

 

 

RAIO X

Fui registrado como… Ana Karina

Nasci aos… 12 de Junho de 1972

Sou natural de… Alcântara- Lisboa

Apelido: Barbosa Garcia de Carvalho
Se eu fosse uma cor, eu seria…Vermelho

Sou viciada em… música

O que não gosto  em meu corpo: Gosto de tudinho!
Uma mulher incrível:Oprah Winfrey
Um homem incrível: Nelson Mandela

Se um génio da lâmpada aparecesse, meu desejo seria… Saúde e felicidade para os meus filhos

Se eu pudesse entrar em um filme, entraria em…Agora “Sex and the City 2” só para ficar com o guarda roupa!!!

Se eu fosse uma música, eu seria… “Dangerously in love” Beyoncé
Lugar para fazer amor: O importante não é o lugar mas a compahia…
Perfume: Jean Paul Gaultier Homme

Som: As gargalhadas dos meus filhos

Prato predileto: Caldo de Mancarra

Não vivo sem: Amor

Meu sonho é trabalhar com…Pessoas competentes e honestas
Uma frase: “Importante não é onde estás mas como chegas lá”

O livro da minha vida :“O Alquimista” de Paulo Coelho

STEP:Seriedade, Talento, Empenho e Profissionalismo

Kayaya Junior : Amizade e Carácter

 

Profissão:

Platina Line: Quando e onde começou a sua carreira como produtora de moda?

Karina Barbosa: Foi começando nos meus últimos anos enquanto manequim em Portugal. Comecei por fazer alguns lançamentos como dar nova imagem e marca de roupa dos Excessos, o lançamento do CD “Alfa” dos SSP e alguns outros eventos e cocktails e depois foi evoluindo para eventos maiores como desfiles e concursos de beleza e por fim concertos.

Platina Line: Chegou ao nosso país em 2000 para dirigir a agência Mango’s, um convite formulado pelo empresário Valdo Oliveira. Um desafio que durou pouco tempo. O que houve de concreto para a sua saída intempestiva da Mango’s?

Karina Barbosa: Embora fosse a directora Geral da Mango’s, não era sócia e a dada altura não concordava com as orientaçõe que me eram impostas nem com a maneira como eu era tratada ou com o rumo que os donos pretendiam dar à agência, então apresentei a minha carta de demissão e saí. Intempestiva não foi a minha saída, mas a reação dos donos da Mango’s à mesma.

Platina Line: Como foi deixar Portugal ou casa para ir em busca de novos rumos em Angola?

Karina Barbosa: Não foi exatamente esse o espítrito. A ideia era ir abraçar um projecto completamente novo em Angola e iniciar um ramo de actividade inédito no país com o nível de profissionalismo que eu pretendia implementar. Na altura não pensei que fosse para ficar, mas vim extremamente motivada pelo projecto e as coisas foram acontecendo naturalmente, e fui ficando.

Platina Line: como é sua relação com as suas manequins, qual a «menina de ouro» e porquê?

Karina Barbosa: Tenho uma excelente relação com os manequins e como a STEP conta já com 9 anos de existência, já vamos na 3ª geração de modelos. Temos o grupo que abriu e fez o sucesso imediato da STEP de onde saíram os primeiros grandes nomes como Freddy Costa, Alex Kangala, Gunza, Yunica, Palmira, Karina Silva, Joana Barroso, Tamara e Tatiana Durão, a 2ª geração com Paulo Manuel, Verónica Barros, Letícia Moura, Domingas Mbala, Joca, e esta nova leva com a Sharam, Kelcy, Jessika Romero, Ismael, Joana Bunga, Elsa Mussengue, entre muitos outros modelos que se fizeram grandes profissionais de moda e alguns até já trabalham internacionalmente. Não tenho uma “Menina de Ouro” mas há obviamente modelos pelos os quais tenho maior carinho, afinidade e respeito devido à sua personalidade e empenho. Há modelos que são muito profissionais e dedicados e isso para mim é fundamental. Não gosto de modelos que só andam à procura de aparecer, de fama fácil ou que não cumpram com horários e sejam difíceis com os clientes ou com as produções dos eventos e que acham que ser manequim é uma brincadeira… Há modelos que estão conosco desde o 1º dia e que continuam entre os melhores da STEP como o Gunza, a Palmira Silva, a Yunica ou a Tamara e isso é de louvar.

Platina Line: para além de manequins e serviços de protocolo, o que é que a STEP tem para oferecer para publico em Geral?

Karina Barbosa: Neste momento a STEP divide-se em 3 empresas: STEP Models, Agenciamento e Gestão de Carreiras de modelos, artistas e figuras públicas; STEP- Produção de eventos, que inclui festas, lançamentos de produtos, eventos institucionais e comerciais de empresas e/ou instituições públicas, eventos privados como casamentos, aniversários, galas, etc. e ainda os concertos de pequena e média dimensão de artistas nacionais ou de grande dimensão com artistas Top internacionais como os concertos da UNITEL ou o BLUE Festival. Já levámos a Angola artistas como Missy Elliott, Jay Z, Sean Paul, Joe, Akon, Ana Carolina e Lokua Kansa e DJs top internacionais como Tom Novy, Abigail Bailey e Yves Larok; e a Creative STEP que é uma agência de publicidade onde já fizémos campanhas de rádio, imprensa escrita, TV e Outdoors para vários clientes como Sodiam, Sonangalp, BAI, BCI, BCA, INACOM, Holitur, Cerveja Cintra e a nova Campanha do banco Rede Expresso 24 com o Matias Damásio e a Micaela Reis.

Platina Line: Como surgiu a ideia de criar o Moda Luanda?

Karina Barbosa: Bom, foi ideia do Kayaya muito antes de eu ir viver para Angola. Ele que também foi manequim profissional em Portugal durante anos, ao voltar para Luanda quis trazer a sua experiência e desenvolver a moda em Angola. Não havia, segundo ele me contou, nada na altura e ele resolveu contactar e incentivar algumas costureiras e alfaites para que fizessem colecções para apresentar em desfiles e assim promover mais amplamente os seu trabalho. Convidou alguns jovens para fazerem com ele aulas de passerelle e criou então o Moda Luanda que foi crescendo e é até hoje a maior montra de criadores nacionais.

Platina Line: foi uma maneira de responder a criação do Angola Fashion Week criada pelo seu desafeto Valdo Oliveira?

Karina Barbosa: Não tem nada a ver, primeiro porque o Moda Luanda é muito anterior, começou em 1992 se não estou em erro, e depois porque quem criou o Angola Fashion Wek fui eu enquanto trabalhava na Mango’s. O conceito e produção da 1ª edição do Angola Fashion Week foram meus numa altura em que o Moda Luanda já tinha realizado várias edições. Aliás, o Kayaya foi dos primeiros clientes da Mango’s ao contratar modelos nossos para o desfile. São eventos completamente diferentes no seu conceito e concretização.

Platina Line: e uma das pessoas que não concorda com o Moda Luanda ou pelo menos com prémios de melhor estilista é Yana Vandunem. Ela não se revê neles tem ela razão quando afirma isso?

Karina Barbosa: Cada pessoa é livre de se rever ou não em determinada situação ou evento. Os Troféus Moda Luanda são uma maneira que a organização encontrou para prestigiar profissionais das áreas da Televisão, Música e Moda de modo a incentivar o crescimento e desenvolvimento destas áreas. São resultado de votação publica online e valem o que valem. As pessoas não devem trabalhar para ganhar prémios, mas porque amam o seu trabalho e querem fazer cada vez mais e melhor. Prémios são uma consequência que deve ser considerada como um bónus e não um objectivo.

Platina Line: e porque que considera que Yana Van Dunennem tem apresentações de grande relevo, é como quem faz trabalho de bancada, como os treinadores de bancada. Mas é como quem diz: a caravana passa”. Ela é tão medíocre assim?

Karina Barbosa: Para mim uma pessoa que vem a público falar mal de colegas de profissão que têm anos de trabalho e reconhecimento público como a Elisabeth Santos, o Tekasala e Shunnoz, o Avelino Nascimento, que vem criticar organizações como o Moda Luanda e o Angola Fashion Week que há mais de 10 anos dão visibilidade aos criadores nacionais, e que faz comentários xenófobos pelo facto de eu ser estrangeira só pode ser medíocre. Este empenho em tentar denegrir e essa energia toda gasta em criticar tudo e todos deveria ser empenhada em produzir colecções, desfiles próprios ou desfiles para outros criadores nacionais, contratando manequins, cabeleireiros, maquilhadores, produtores etc para de facto participar activamente no desenvolvimento da indústria da moda em Angola, gerando receitas a estas pessoas, e pagando impostos contribuindo para o Orçamento Geral do Estado, para a economia e para o desenvolvimento do país como faz a STEP. Se ela acha que nós todos fazemos mal, então ela que faça à maneira dela mas que faça, que produza alguma coisa. Mas falar é muito mais fácil não é… Fazer é que é mais complicado…

Platina Line: e ainda sobre o moda Luanda diz-se que tem facilitado os prêmios para os manequins ou estilistas ligados a sua produtora. Ou seja o moda Luanda é para STEP?

Karina Barbosa: Reconhecer o trabalho, qualidade e profissionalismo alheio é muito difícil para certas pessoas, é sempre mais fácil arranjar desculpas. O Moda Luanda não facilita nada a ninguém porque não somos nós que votamos nem interferimos em nada. Há um jurí de nomeação por cada categoria que indica os nomeados e depois a votação é pública feita online. Nós não temos criador nenhum ligado à STEP, portanto essas acusações nem fazem sequer sentido por aí. Agora os manequins que têm ganho são na maioria da STEP? São, mas também é um facto que a STEP é a melhor e maior agência de modelos de Angola, então é natural que os melhores modelos, que são da STEP, saiam vencedores na maioria dos casos. Se de cada 9 dos 10 melhores modelos do país são nossos as probabilidades aumentam, certo?

Platina Line: e quanto custa organizar um moda Luanda?

Karina Barbosa: Custa aproximadamente 150.000 Usd, mas este valor tende a aumentar pois a cada ano tentamos inovar, englobar mais criadores que têm terminado os seus cursos e pretendem lançar as suas marcas e temos também tentado englobar outras áreas da moda como fizémos este ano com a exposição de fotografia de moda e a exposição de acessórios, ambos de profissionais angolanos.

Platina Line: Em entrevista revelou que os estilistas e alguns modelos angolanos são desorganizados nem cartão de visitas tem? Comente sobre, e diga-nos se ainda assim Angola tem Futuro Na moda?

Karina Barbosa: Falei apenas dos criadores de moda que não maximizam as suas apresentações e presenças em eventos colectivos de moda. Se eu fosse criadora de moda e tivesse a oportunidade de participar num evento como o Moda Luanda onde não pago absolutamente nada por toda a produção (manequins, staff, publicidade, passerelle, som, luz, etc) iria investir em ter no mínimo cartões de visita, e um catálogo ou brochura de apresentação do meu trabalho, de modo a cativar potenciais clientes, investidores ou parceiros e até a imprensa. As pessoas que estão a ver o desfile teriam maior informação sobre o meu trabalho e sentir-se-iam mais motivadas para me contactar. Isto é marketing e faz parte do negócio. Todas as marcas precisam de marketing e publicidade.

Platina Line: existe muita inveja no mundo da moda e de espetáculos em Angola?

Karina Barbosa: Sim, mas isso é transversal a todas as áreas de actividade, só que as pessoas esquecem-se que enquanto estão a olhar para o lado estão a abrandar o seu prórpio percurso… Olhem mais para frente e menos para os lados.

Platina Line: defende uma moda Africana ou uma moda com base copias e imitação no que se faz na Europa e na América e Asia ou seja nos grandes polos da moda?

Karina Barbosa: Existirá sempre uma moda africana pois advém de aspectos culturais e de personalidade dos povos, mas a moda é primeiramente uma indústria que serve uma necessidade básica e prática que é cobrir o corpo, então haverão sempre peças que são universais.

Platina Line: conte um pouco sobre a sua carreira como modelo e depois como Apresentadora?

Karina Barbosa: Nunca tive nenhum interesse em especial, foi mesmo um acidente! Fui acompanhar a minha irmã mais nova a um casting, na altura era para o concurso “The Look of the Year” da Elite Models que nos anos 90 era o grupo de agências de manequins mais forte do mundo, e a Ana Borges, a directora da agência em Portugal, convidou-me para ficar também. Eram mais de 450 candidatas e eu e a minha irmã acabámos as duas aprovadas para a final. Ela acabou por ter que desistir e eu lá fui e fiquei em 2º lugar. Estavam no júri a Naomi Campbel e o John Casablanca, head scouter da Elite Nova Iorque, e a partir daí comecei logo a trabalhar muito bem. Uns 6 anos depois comecei a participar em programas de TV e fui contratada para assistente de um programa juvenil de videojogos, o “Cybermaster” e mais tarde fui seleccionada para apresentadora do magazine musical “Made in África” da RTP1 que depois passou também na RTP África e RTP Internacional. Aí ganhei muita experiência e conheci muitos músicos angolanos.

 

Platina Line: logo na 1.ª edição do Portugal Fashion A Karina desfilou com ou ao lado das grandes top models internacionais daquela época – Cláudia Shiffer, Karen Mulder, Carla Bruni e Helena Christiansen. Como foi viver essa experiência?

 

Karina Barbosa: Foi surreal estar ali a desfilar ao lado das grandes tops dos anos 90!!! Mas correu muito bem e é uma das memórias especiais da minha carreira.

 

Platina Line: Já fora das luzes dos holofotes, foi nos bastidores que produziu alguns dos espetáculos mais marcantes da moda e da música no país?

 

Karina Barbosa: Em Angola sim, orgulho-me muito disso. Amo produção, desde a criação dos conceitos dos eventos até à sua concretização. Os meus preferidos são o Moda Luanda, Prêt-à-Porter, Belas Fashion, Gala Lwini, BLUE Festival e os concertos da UNITEL. Adoro estar nos bastidores e na regie. Trazer grandes artistas internacionais é uma dor de cabeça muito grande mas o prazer e a realização que sinto quando eles sobem ao palco e cantam a 1ª música é o que me move. O show do Jay Z e este ano os da Ana Carolina foram os meus preferidos até à data. Aproveito para agradecer publicamente à UNITEL, BLUE e BFA que têm confiado no nosso trabalho estes anos todos possibilitando a realização destes grandes concertos. Muito obrigada mesmo!!!

 

Platina Line: Naomi Campbell e John Casablanca, o head scouter da Élite New York, o que representam eles na sua vida?

 

Karina Barbosa: Marcaram o início da minha carreira de manequim e acho que me deram muita sorte porque trabalhei muito bem especialmente no que mais gostava, passerelle. Foi sem dúvida um “carimbo de qualidade”.

 

Platina Line: Moda Luanda, a 1.ª Edição do Angola Fashion Week, Blue Festival 2009, concertos do Jay Z e Sean Paul, Programa Mwangolé no Channel O, Prémio Cultura e Artes para os Caminhos Cruzados, Gala Lwini com a vinda do Luís Figo e Ronaldo, Belas Fashion  como diz um dos meninos da qual trouxeste e tiveste a honra de me dar este sonho “ Jay-Z” qual sera próxima da Karina?

 

Karina Barbosa: Isso é surpresa… Mas será bomba!!!

Platina Line: E falando em Jay-z sempre tive A curiosidade em saber como Foi o processo para ele vir Em Angola. Sei a Onu Ajudou Bastante porque um Projeto das Nações Unidas. E diga-nos também se ele é aquilo que Oprah Winfrey disse que ele cheiroso e uma Doce pessoa. Conte-nos por favor Karina?

Karina Barbosa: Conseguimos a data para Angola porque ele iria fazer uma tour por África com a MTV e a UNICEFF sob o lema “Water for life” para chamar a atenção da comunidade internacional e governos locais para a falta de água potável nalgumas zonas em África e a MTV indicou a STEP aos tour managers dele como a melhor produtora em Angola para realizar o show em termos de seriedade e profissionalismo. Se o Jay Z é cheiroso não sei, mas posso dizer que de todos os artistas que já trouxemos ele foi o mais profissional e educado. Ele tem uma presença muito forte e percebe-se que não chegou onde chegou à toa.

Platina Line: E ronda por altos a informação de que sua esposa, Beyoncé, também esteve Angola acompanhando o marido, e só apareceu no dia do show. Isso é verdade?

Karina Barbosa: Sim, ela veio com ele mas ficou no hotel porque o Karl Marx estava extremamente cheio e não havia um local de onde ela pudesse ver o show sem causar ainda mais delírio nas pessoas que já estavam em êxtase com o Jay Z. Ela foi muito simpática e simples. Não chegaram há ficar 24 horas em Luanda, e seguiram para Joanesburgo onde tinham um encontro com Nelson Mandela.

 

Pessoal:

Platina Line: em conversas de bares e cafés comenta-se que se trata de uma pessoa cínica e arrogante. O que isso tem de verdade?

Karina Barbosa: As pessoas confundem autoconfiança com arrogância. Eu tenho uma óptima autoestima e confio plenamente no meu trabalho e nas minhas capacidades e vivo de bem com a vida, e esse é o “ar” que irrita algumas pessoas que têm complexos de inferioridade. Agora cínica não sou nem um bocadinho, aliás, qualquer pessoa que me conheça minimamente sabe que sou extremamente frontal e directa, ou gosto ou não gosto e não faço fretes.

Platina Line: um leitor seu fã a partir do Dubai enviou a seguinte questão para si. Como anda a sua relação com Big Nelo e Vui Vui dos Kalibrado?

Karina Barbosa: O Big Nelo é um dos meus melhores amigos desde que fui para Angola, tivemos uma relação importante durante 4 anos e temos uma filha, a Daniela que é uma princesa. O Nelo é uma excelente pessoa, tem um coração de ouro e sei que posso sempre contar com ele, aliás, se não fosse por ele acho que a dada altura não teria ficado em Angola. Ele sempre acreditou muito em mim e deu-me muito apoio sempre que precisei e é das poucas pessoas em que confio de olhos fechados. O meu relacionamento com o Ivo terminou no final do ano passado porque tinhamos projectos de vida diferentes, mas ficou respeito, amizade e um filho lindo, o Yuri Zion.

Platina Line: sente-se mais atraída por homens mais novos?

Karina Barbosa: Não sei, não rotulo os meus relacionamentos… Gosto de homens autoconfiantes, com sentido de humor, enérgicos e interessantes que me respeitem e me cativem. A idade não é importante.

Platina Line: Uma Relação esta destinada Ao Fracasso quando um dos parceiros vem de uma relação sexualmente ativa e entra em outra não ativa ou pouco ativa dado a facto para muitos sexo é 90% da relação e só outros 10% para o amor e outros itens?

Karina Barbosa: Não sei responder por esse prisma, mas acho que quem pensar assim dificilmente terá uma relação duradoura… O sexo é importante mas não é o mais importante. Acho que o fundamental é haver amor e isso é haver respeito, confiança, muita amizade e muita tolerância. O casal deve crescer junto e apoiar-se mutuamente. Acho que hoje em dia as pessoas não trabalham nem investem o suficiente nas relações. Dá muito mais trabalho manter uma relação do que terminá-la. Mas outras vezes as pessoas passam a desejar coisas diferentes, querem caminhos diferentes e tornam-se incompatíveis. Mais importante do que as pessoas olharem uma para a outra é olharem ambas na mesma direcção.

Platina Line: e como surgiu a ideia de você e o Big Adotarem uma Criança?

Karina Barbosa: Não foi um plano, aconteceu porque nos deparámos com uma criança necessitada que nos cativou e conquistou. Foi destino.

Platina Line: Outro leitor da Revista direto da China, pergunta como é sua relação com os seus filhos e o que tem ensinado a eles?

Karina Barbosa: Tenho uma relação muito próxima com eles. Convivemos muito e eles acompanham-me várias vezes tanto socialmente como em trabalho. Tento ensinar integridade, generosidade e auto-estima e o de mais valioso que lhes posso dar é amor, educação e formação. Procuro torná-los seguros de si para que possam perseguir os seus sonhos sem nunca se perderem de si mesmos.

Platina Line Por sua vez a Platinada que mora em SP – Brasil, está curiosa para saber se a Karina está  a namorar ou  a viver  maritalmente com alguém?

Karina Barbosa: Gosto de preservar a minha intimidade embora entenda que devido ao meu trabalho as pessoas tenham certas curiosidades. Posso dizer que estou apaixonada e feliz.

Platina Line: Li o seu comentário sobre a mulher ideal na opinião de Danny L. Agora de sua opinião sobre Homem Ideal?

Karina Barbosa: É exatamente a mesma coisa… Um homem seguro de si capaz de amar, mimar, respeitar e fazer sorrir a sua mulher, que não se sinta intimidado pelo crescimento e realização profissional da sua companheira e qua a ajude a ser mais e melhor.

Platina Line: Já fez alguma cirurgia plástica?

Karina Barbosa: Ainda não, mas faria ou farei quando achar necessário e proveitoso.

Platina Line: Quais os cuidados que você tem com sua saúde?

Karina Barbosa: Faço massagens que adoro, e tento fazer exercício físico e hidratar a pele diáriamente.

Platina Line: Ainda é amiga dos seus amigos antigos Continua ligada aos seus amigos mais antigos?

 

Karina Barbosa: Muito, desde as minhas colegas da faculdade às pessoas da moda em Portugal. São pessoas que me conhecem e me amam de verdade e mantenho contacto via telefone e email e visito sempre que vou a Lisboa.

 

Platina Line: Quais são os seus cuidados de beleza para manter o seu corpo e seu rosto lindo?

Karina Barbosa: Muito creme hidratante no rosto, aulas de step no Fitness quando posso e amar e rir muito!!!

 

Platina Line: O que normalmente come no café da manhã?

 

Karina Barbosa: Depende muito… Desde pequena que tomo leite com chocolate e gosto de torradas, ou então de mamão ou yogurte líquido. Ultimemente não costumo comer muito de manhã porque não tenho muito tempo…

Temas sociais:  

Platina Line: O câncer da mama é um dos grandes males que acomete as mulheres. Tem feito exames de forma regular? E já agora, que conselho deixa para as outras mulheres?

 

Karina Barbosa: Faço sim porque tenho pessoas conhecidas que já passaram por isso. É preciso estar sempre alerta, a nossa saúde é tudo.

Platina Line: Inveja No Trabalho e Vida Social

 

Karina Barbosa: Sucesso implica sempre a inveja de alguém… É ignorar e seguir em frente.

 

Platina Line: Qual a sua opinião em relação à divisão de tarefas entre os casais em casa?

 

Karina Barbosa: O lar é dos dois, então a divisão deve ser equilibrada para que haja energia e boa disposição para momentos de lazer em família ou momentos de intimidade e romance entre o casal. O equilibrio é fundamental na harmonia de qualquer relação.

Platina Line:

Platina Line: O que achou da nossa revista?

 

Karina Barbosa: Acho um projeto interessante e um bom veículo para levar uma Nova Angola, bonita, dinâmica e positiva aos 4 cantos do mundo.

 

Platina Line: Que recado/sugestão deixa aos seus criadores?

 

Karina Barbosa: Profissionalismo e perseverança

 

Platina Line: Que mensagem deixa ao publico Angolano?

 

Karina Barbosa: Confiem e invistam em vocês mesmos e um mundo de oportunidades aparecerá. Assumam o comando das vossas vidas e dos vossos sonhos!

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments