O Outro Lado da Moeda Hoje é o dia do julgamento final

0
213

Hoje é o dia do julgamento final, e nem sequer é 2012. Finalmente levaremos à tribunal as nossas “santas” companheiras.

Antes de mais nada, vamos corrigir as terminologias usadas e que serão usadas ao longo dessa nossa breve jornada. Considerem esta intervenção como uma aula rápida de engenharia de rejeição. Primeira e única regra a saber: Só é considerada uma rejeição quando a intenção de “fazer parte” da vida de uma pessoa é negada verbalmente, ou seja, tu dizes: – Eu te amo. Ele diz: Mas eu não. Qualquer outro desvio que ausencie a palavra “não”, é considerada enrolação.

Fui obrigado a esclarecer essa regra antes porque muitas mulheres têm o péssimo hábito de achar que somos obrigados a dar uma resposta na hora, e tem que ser estupefactamente convincente. Se o homem for dizer que sim, é bom que seja um som com assobios de passarinhos e olhos de chinês. Não pode demorar muito (o que no universo delas são aqueles 3 segundos que temos direitos para tomar uma decisão); nem ser muito rápido (aqueles 30 nanosegundos que levamos para responder algo quando estamos muito felizes).

Tendo isso em mente, vamos prosseguir.
Ora bem meus caros amigos sedentos de mundo real. As coisas andam mais ou menos assim:
– Se por um lado quando a dama te rebenta um “não” tu és burro, se fores tu (homem) a dar o “não“, deixas de ser burro e passas a ser uma ameba, um “buazeza” e mais outros adjectivos agradáveis de se ouvir quando não somos nós os sujeitos da oração. 
Antes de rejeitares uma mulher, a seguinte pergunta deve ser feita: Você é quem para dar não numa dama? Me diz já se és o quêBatman,Homem de Ferro ou o Hulk? Porque tens que ser especial para fazer isso. Há consequências que terás que arcar que não são para qualquer “sapo”.

Mas assim quem cria esse rótulo? Minhas manas, vocês sabem! Num vamos estar aqui a se mentir. Vamos Lá “mazê” Ser Sinceros e quanto mais cedo melhor. Assim que vocês levam um fora, mas um daqueles extremamente convincente, tão convincente quanto certos actores na novela angolana Revira-Volta, que vocês mesmas nos registam novamente. No meio das amigas só lhe chamarão já de: “O tonto do Fulano” ou aquele “Feio do Sicrano“. Mas assim “tá memo” bom? Agora já é feio? Mas deixa, vão vos castigar.

As mulheres não superam uma rejeição com um sorriso no rosto, parecem sofrer de rinite alérgica ao não! 
Quando são elas a negarem, “inda” te perguntam: Estás fixe “né”? – Mas você que acabou de me dar um não, acha mesmo que eu estaria bem? No entanto, é melhor colocares um sorriso na cara de uma ponta a outra que nem uma bacia porque elas alegam que detestam ter pena de alguém. Só que não é bem assim na vez delas. Te fazem mesmo sentir remorsos, não querem saber. Se deres um “não” com um tom de voz descalibrado acima de 2 decibeis e dito de fo
rma repentina; fará com que a mulher mais forte duvide da sua masculinidade, a mais fraca a desatar num tremendo choro e a angolana a borrar o teu nome na lama em que banham os porcos.


Para quem não deu conta a regra é a seguinte: Homem leva “não” tem que calar a boca. Mulher leva “não” vai ter que te espalhar de todas as formas.
Claro que nem todas fazem isso. As que fazem, fazem-no voluntariamente. As que não fazem, o fazem involuntariamente. Assim que alguém falar de ti, ela atira já um “Hum” no ar. A receptora fica curiosa e aí já sabemos o resultado… Serás sujado.

Existem ainda aquelas que levam um bom “sai daqui”, entretanto não “se deixam mal” e afirmam publicamente ter tido um relacionamento com o rapaz. Essa táctica além de ser muito difícil de desmantelar, é usada fundamentalmente para pôr mais gasolina no fogo, e não esqueça que alguém há de ser posto na grelha. Esse tipo de mulher adora um torresmo bem torrado, tão torrado que se assemelha ao carvão. Só Deus para identificar o teu corpo depois da queima. “Num” haverá CSI, “num” haverá nada!

Deveria existir uma lei constitucional proibindo a oferta de “não’s” a indivíduos do sexo feminino, pela dificuldade que têm em digerir a situação.

net_684x82

Muitas desconhecedoras das leis da rejeição, pensam que as suas tentativas estão a ser frustradas quando o homem não percebe os SDM (sinais de moleza)Meu Deus do Céu! Minhas caras amigas, acontece que muitas de vocês mandam o vosso SDM com muita distorção, quando tentamos decifrar nos vemos sempre em situações ambíguas. Por favor, mas por favor mesmo, pedimos encarecidamente que melhorem os vossos serviços de transmissão de dados!

Outro problema que muitas mulheres enfrentam é a Síndrome do Pitbull (SPit). Uma doença que impede muitas mulheres de largarem o osso. Não gostam de desistir. Podem receber “tril trilhões ou mil e cheischentos não’s”, ainda assim, sentem cada vez mais prazer. Abanas o pé para ver se largam e “tás” a lhes dar mais fama. É como lutar com porco na lama, quanto mais resistência ofereceres melhor para elas. Essas, são aquelas que só te ligam quando estás com a tua namorada, até parecem sentir cheiro. Mensagens picantes a fazer um “playback” de quem está a ter um relacionamento fabuloso consigo. 
A essas, eu também costumo chamá-las de “Ramba”, são um tremendo carrasco. Onde ela entra, tudo começa a “despuludir”. Ou dás o que elas querem ou elas levam e enterram o “mocotô” da tua relação. Parecem traficantes, fazem refém à tua vida. Mas não te preocupes, se lhe obedeceres, ela levará na mesma. Assim “vamo” fazer então como?

Há algo que eu respeito nas damas: Quando elas querem, elas não querem saber. Mas minhas queridas, quando a gente não quer, não nos estraguem a vida ou façam drama. Simplesmente engulam a vossa dor e nos deixem em paz! Não é não!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui