Vamos Lá Ser Sinceros!!! A Metamorfose

0
155

O bom mesmo de estar cá na banda, é poder ter mais contacto com a natureza; poder ver a tão famosa metamorfose da larva para borboleta assim bem ao nossos olhos. Mas, claro que tem um mas, eu iria adorar presenciar tal fenómeno se não estivesse em Angola.

Por cá, eu observei algo mais estupendo, maravilhoso ou senão “esbofeteante”! Meus fiéis amigos, eu presenciei a metamorfose de uma leoa à zebra, de uma tigrezaà uma gata num saco preto, de um namorado à um pai!
Nunca tinha visto isso na minha vida. Falo, obviamente, daquelas que ao arranjarem um namorado, acabam tendo um pai. Mas meu Deus do Céu, agora as coisas são “memo” assim? Namorado manda e desmanda?

Eu que sempre idolatrei a majestosa angolana, Deusa da Cara Trancada, afinal modernidade lhe trouxe isso? É que é incrível, nem já os pais detêm tanto poder como os “damos” têm agora sobre as suas damas. É que ela chega já: – Amor, posso sair? O Amor: – Não! Lá ela bem obediente também vai transmitir nos seus amigos, hoje não vai dar para sair o meu namorado não deixou. O pior, é que todos nós sabemos que se fosse o pai biológico (porque pai verdadeiro agora é o namorado) dissesse que não, seria luta grande; pancada a sério, voltaríamos a ter um 4 de Fevereiro para não falar já de gritos que levariam a menina a declarar um 11 de Novembro.

Como é que isso funciona? Como, como, como? Assim então “se falam” como? Como é possível os teus pais autorizarem-te a sair e um energúmeno dizer que não? Aqui “num” há lá porque é amor, ou porque nós já combinamos assim. Você que sempre se divertiu com os seus amigos, hoje precisas de escolta romântica para voltar a sair? Eu não posso acreditar que a minha angolana se transformou nisso. Ou será um vírus mais feroz que a ébola e devastante que o HIV/SIDA que criou essa variação desagradável da espécie angolana que se submete à conceitos ridículos?

Amada zebra ou carinhosamente, gata no saco, cá entre nós me diz “inda”, aquele trabalho todo que você deu é para isso? Tanto não era só show né? Agora mal consegues respirar sem autorização.
Irmãs, ganhem um pouco de juízo. Tanta boca agora estás a levar “cú-parede”! Você tem um namorado ou um agente de trânsitoPresta atenção: Quando há esse tipo de atitudes, significa que não há confiança. Só desconfiamos daqueles que sabemos (mesmo que inconsciente) que vai nos trair e se vai trair, está a insistir porquê? Não sabe que trabalhar e estudar é complicado? Trabalhar como segurança pior ainda. A desconfiança aberta é uma tremenda falta de respeito, a não ser que estejas com uma devassa. Se não, respeite-a (e respeite-se também)!

Entretanto não foi só isso que eu presenciei não. Vi também homens a virarem bonecoscães de caça a virarem pacaçasartistas (actor principal) tornarem-sefigurantes.
Tropas de elite estão a ser executados por angolanas canibais, também chamadas de adestradoras. Indivíduos de respeito hoje em dia já não podem atender o telefone ao lado da namorada, é “estrilho”; não podem receber chamada após as 22:30 (até dão horário), senão é “prubulema”; também não podem sair sem a dama deixar, se o fizer deve ser às escondidas (e eu que pensava que “escondidas” fosse apenas uma brincadeira, pelo visto aqui anda sério, “num vamo só brincá cô vida”). 

Mas ô boneco, assim quando te falam não faz isso, você diz que sim? Ou te levaram na “maiombola“? Tanta patetice, você tem que receber salário, de graça eu não posso acreditar. Namorada não é tudo na vida! Até me apetece fazer um semba tipo de Heavy C. Só dá para vos cantar!

Os casais então… 
Quanto a isso devo começar já dizendo a tão famosa frase: O casal que mais briga é aquele que mais ama. Eu, por acaso, concordo. O casal que mais briga é aquele que mais ama sim senhora, amam uma boa sanzalice. Isso sim pá! Mas que amor é esse que a cara de um provoca alergias no outro, e o antídoto recomendado é a discussão? E ainda convencem-se que gostam-se bwé, contudo todas as vezes que saem com os amigos acabam discutindo. “Aqui também já estão amar”! Prefiro então ficar “amorless
Para vocês que passam a vida a discutir já vos ensinaram a frase: eu te amo?; já ouviram a frase: tu és linda(o)?. Demonstração de amor requer ameaças? Se pegarem nos pescoços? São adeptos de sexo selvagem? Mas é tão difícil assim elogiarem-se que vocês preferem tirar uma discussão de relaxe? Só sabem sentir ciúmes, desconfiar, bater na “jibô” (ah, porque não, estou em beefs com a minha dama(o) ), dizer palavrões e no fim de tudo pedir desculpas…
Se transformar também já “num” é assim!

Vamos Lá Ser Sinceros!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui