Texto: Hélio Cristóvão

Foto: Edueni António

Aconteceu hoje, 1º de Abril, em Luanda, a conferência de imprensa do tradicional concerto alusivo ao dia mundial do Jazz, cuja realização está a cargo da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), da Comissão Multisectorial da Bienal de Luanda para a Cultura de Paz e da American Schools Of Angola (ASA).

O projecto, que já vai na sua décima edição, é comemorado na sub-região da África Central. O evento terá lugar nos dias 30 de Abril, 1 e 2 de Maio (Sexta-feira, Sábado e Domingo), a partir das 18H00, no Clube Naval da Ilha de Luanda.
Criado pela Conferência Geral da UNESCO, em 2011, por iniciativa do Embaixador de Boa Vontade da UNESCO, Herbie Hancock, e reconhecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas, o Dia Internacional do Jazz, 30 de Abril, reúne países e comunidades de todo o mundo para celebrar o Jazz e o papel que desempenha na promoção do diálogo, do combate à discriminação e da promoção da dignidade humana.

Angola, Camarões, Chade, Congo, Gabão e República Democrática do Congo juntam-se a este evento através de actividades artísticas, intelectuais e educativas com destaque à Mesa Redonda (online) sobre “Os valores do jazz, a cultura de paz e a candidatura da Rumba congolesa como Património imaterial da UNESCO”. As actividades deste importante dia serão encerradas com um concerto no âmbito da iniciativa da UNESCO ResiliArt.

Farão parte do evento grandes nomes da música nacional e internacional como Filipe Mukenga, Sam Mangwana, Anabela Aya, Esperança Mirakiza, Totó, Ricardo Lemvo, Mitchel Long (EUA), Catarina dos Santos (Portugal), Chico Pinheiro (Brasil), Yamandu Costa (Brasil), Luís Guerreiro (Portugal), Martin Sued (Argentina), Derek Nakamoto (EUA), Mick Trovoada (Portugal), As Marias (Moçambique), entre muitos outros. Esta décima edição será também uma ocasião para homenagear o músico Waldemar Bastos, falecido em 2020, que foi a figura de cartaz da edição do Dia Internacional do Jazz, realizada em Luanda, em 2019.