- Publicidade -

More

    Comer abacate toda semana reduz em 21% o risco de ataques cardíacos, diz estudo

    em

    |

    Visualizações

    and

    comentarios

    Comer abacates reduz o risco de ataques cardíacos em homens e mulheres, inclusive quando consumidos no lugar de manteiga, queijo ou carnes processadas, segundo um novo estudo.

     

    A doença cardiovascular é uma das principais causas de morte em todo o mundo, tirando quase 18 milhões de vidas todos os anos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Somente nos Estados Unidos, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dizem que as doenças cardíacas tiram uma vida a cada 36 segundos.

    Comer pelo menos duas porções de abacate por semana reduziu o risco de ter um ataque cardíaco em 21% quando comparado a evitar ou raramente comer abacates.

     

    No entanto, não houve um benefício equivalente na redução do risco de acidente vascular cerebral, de acordo com o estudo publicado nesta quarta-feira (30) no Journal of the American Heart Association (AHA).

    Uma porção de abacate, que é uma fruta, foi definida como “meio abacate ou meia xícara de abacate, que pesa aproximadamente 80 gramas”, disse a autora do estudo Lorena Pacheco, pesquisadora de pós-doutorado no departamento de nutrição da Escola de Saúde Pública TH Chan de Harvard, em Boston.

     

    “Embora nenhum alimento seja a solução para uma dieta saudável rotineiramente, este estudo é uma evidência de que os abacates têm possíveis benefícios à saúde”, disse Cheryl Anderson, presidente do Conselho de Epidemiologia e Prevenção da American Heart Association, em um comunicado. Anderson não esteve envolvido no estudo.

     

    “Precisamos desesperadamente de estratégias para melhorar a ingestão de dietas saudáveis ​​​​recomendadas pela AHA – como a dieta mediterrânea – ricas em vegetais e frutas”, disse Anderson, que também é professor e reitor da Escola Herbert Wertheim de Saúde Pública de Ciência e Longevidade Humana na Universidade da Califórnia, em San Diego.

     

    Estudo de longo prazo

    O estudo acompanhou mais de 68 mil mulheres e 41 mil homens que foram inscritos em dois estudos governamentais de longo prazo sobre fatores de risco para doenças crônicas: o Estudo de Saúde das Enfermeiras e o Estudo de Acompanhamento dos Profissionais de Saúde.

     

    Todos os participantes estavam livres de câncer, doença cardíaca coronária e acidente vascular cerebral no início dos estudos e preencheram questionários dietéticos a cada quatro anos durante um período de 30 anos.

     

    Além de analisar o impacto geral de comer abacate, os pesquisadores fizeram modelagem estatística e descobriram consumir meia porção de abacate (¼ xícara) por dia em vez da mesma quantidade de ovos, iogurte, queijo, margarina, manteiga ou carnes processadas (como bacon) reduziu o risco de ataques cardíacos em 16% a 22%.

    Share this
    Tags

    A Bombar

    Banco Bic abre inscrições para o crescer juntos e homenageia empresas co-investidoras

    O Banco BIC abriu nesta segunda-feira, 17 de Junho, as inscrições deste ano para ONGs, Fundações e Associações que necessitam de recursos financeiros e...

    Clénio & Clésio Gomes são os mais recentes acionistas do Luanda City, equipa recentemente promovida ao Girabola

    Clénio & Clésio Gomes são os mais recentes acionistas do Luanda City, equipa recentemente promovida ao Girabola É com imenso prazer que anunciamos a nossa...

    Jornalista Dalila Prata destaca-se no 21º Fórum Meteoclimatic no Média Workshop em Darmstadt (Alemanha)

    Por: Luizão Cabulo A jornalista angolana Dalila Prata destacou-se no 21º Fórum Meteoclimatic no Média Workshop em Darmstadt, Alemanha, representando Angola e a "TPA online"...

    - Publicidade -

    Artigos Recentes

    - Publicidade -

    Mais como isto