Elinga e Henrique Artes no Festival da Lusofonia

0
184

A quarta edição do Festival de Teatro de Língua Portuguesa (Festlip) começa hoje às 19h30, no Teatro Municipal Carlos Gomes, no Rio de Janeiro, com a apresentação para convidados da peça “Novecentos, O Pianista do Oceano”, do grupo português Peripécia Teatro.


A companhia Raiz di Polon, de Cabo Verde, que é o homenageado do festival, recebe hoje à noite o “Troféu FESTLIP 2011”.
Realizado pela Talu Produções, o primeiro festival a promover o intercâmbio teatral entre países de língua portuguesa conta, nesta sua quarta edição, com a participação inédita da região autónoma espanhola da Galiza. 


Durante o Festlip, que decorre até ao dia 31, vão ser apresentadas 13 peças, de Portugal, Angola, Cabo Verde, Moçambique, Brasil e Espanha, num total de 40 apresentações. Ao longo destes dias, haverá ainda espaço para debates, uma exposição fotográfica e uma mostra de culinária, além de outros espectáculos.


A actriz e produtora brasileira Tânia Pires disse ontem ao Jornal de Angola que a continuidade deste acontecimento de alto nível só prova a importância do intercâmbio cultural, acrescentando que um dos mais importantes grupos de Cabo Verde, o Raiz di Polon, que possui uma extensa carreira internacional, está no Brasil para apresentar o espectáculo ‘Cidade Velha’.
“Começámos com dez espectáculos de cinco países. Agora contabilizamos quase mil inscrições e 13 peças dos membros da CPLP, com a entrada de mais um país, a Espanha, representada pela Galiza, no novo módulo do Festlip: “Amigos da Língua Portuguesa”. É mais um passo no objectivo de estreitarmos os laços entre culturas tão distintas e ainda muito distantes”, disse Tânia Pires.
O grupo Elinga Teatro, que participa neste evento pela segunda vez, sobe ao palco do Espaço Sesc – Sala Multiusos, no Rio de Janeiro, amanhã às 18 horas, para apresentar a peça “O Armário e a Cama”, uma comédia sobre os equívocos do amor e da amizade. A história de um triângulo amoroso onde nada é o que parece, explorando os conflitos entre casais e os seus melhores amigos, é novamente apresentada nos dias 22, 30 e 31.


O grupo Elinga foi criado em 1988 com a preocupação de recuperar e promover a cultura angolana, recorrendo para isso a uma abordagem moderns dos seus valores tradicionais. Ao longo dos seus 22 anos de existência, o grupo apresentou 37 peças e esteve presente em oito países: Angola, Moçambique, São Tomé, Cabo Verde, Portugal, Espanha, Itália e Brasil. Do programa do festival consta ainda a exibição, nos dias 23, 24 e 28, do espectáculo “Hotel Komarka”, pelo Henrique Artes, que se desenrola numa cela onde sete detidos revivem as suas emoções, sonhos e aventuras. Um espectáculo com uma linguagem aberta, sem tabus, com cenas chocantes e muito humor. O grupo foi fundado em 2000 num colégio técnico pré-universitário de Luanda, com o objectivo de dar suporte a jovens que apresentavam um futuro artístico brilhante. A partir daí, começaram a trabalhar arduamente e a investir seriamente nos seus actores, apresentando sucessivos espectáculos em Luanda.
O Festlip conta com a parceria da Rede Sesc Rio, da Secretaria do Município e Estado de Cultura, FUNARTE e Ministério da Cultura; com o patrocínio da Contax e da Caixa Cultural, além do apoio cultural do Oi Futuro, Instituto Camões, CPLP – Comunidade dos Países da Língua Portuguesa e todas as embaixadas dos países participantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui