Inicio Especiais Opinião Engenharia de transportes- Aeroportos

Engenharia de transportes- Aeroportos

0

Segundo Jorge Pais meu respeitável professor do mestrado em Engenharia civil (Unipiaget-Universidade do Minho- Portugal), a 17 de Dezembro de 1903 os irmãos Wright fizeram os primeiros voos e somente em 1926, foi feito o primeiro serviço de correio aéreo. Dez anos depois deu-se início a regulamentação do tráfego aéreo marcado com o desenvolvimento das seguintes ações:

-Navegação aérea, autoridade para regulamentar, registo das aeronaves e a respectiva certificação.

Os primeiros hidroportos apareceram na década 10-20, e na década 30 os aeroportos começaram a ter pistas em betão, devido ao peso das aeronaves, bem como, a rápida degradação doutros tipos de pavimentos. Somente em 1946 surge o radar para vigilância dos aviões permitindo a eficiente e segura operação de decolagem e aterragem, para tal desenvolveu-se tecnologia Vort e Vortac (sistemas de navegação rádio para aviões) e sistemas de iluminação de aproximação à pista.

Depois da segunda guerra mundial, o Boeing 707-120 e o Douglas DC8-10 dedicam-se a aviação comercial. Na decada 50-60 foram desenvolvidos os aviões aeroportos que existem hoje, sendo que havia mais aeroportos privados do que estatais, cujas pistas tinham mais de 2100 m.
Depois da década 50 surgem os aviões com 2 motores Boeing 767-200, Airbus A380. Apartir de 1993 procede-se à utilização do GPS, navegação por satélite sobre o pacífico e o uso do DGPS para aterragem sobre baixa visibilidade.

No meu entender sobre a matéria, o desafio da engenharia aeronáutica e dos transportes aéreos em Angola, África e no Mundo (área que muito aprecio e procuro estudar sempre) cingir-se-a na produção de aviões mais eficientes, companhias de baixo custo, aeroportos de baixo custo. Pois que, quanto maior a distância a percorrer, maior é a influência do transporte aéreo.

Estudos feitos concluem que, apartir da década de 60 verifica-se uma supremacia do transporte aéreo sobre os comboios e autocarros, quando se trata de percorrer grandes distâncias (ligar estados ou províncias de muitos países e continentes).

Um dos grandes desafios no Planeamento e dimensionamento de aeroportos tem haver com a orientação da pista, pois que todas as operações das aeronaves devem ser realizadas contra o vento. E porque as condições do vento vento variam de hora em hora, é recomendável uma análise cuidado do fenômeno (Rosa dos ventos). O grande desafio do projectista será com certeza acomodar as aeronaves usando a pista de modo seguro e aceitável. Vale lembrar que o vento é referido ao azimute (Norte magnético).

3- Elementos a ter em conta no projecto de pistas para aeroportos:
-a orientação da pista é realizada para a aeronave mais crítica, a mais longa;
-a orientação da pista deve satisfazer 95% dos ventos cruzados… ao não cumprir este requisito, deve ser considerada outra pista;
– cada aeronave tem um único valor máximo de vento cruzado que pode variar de 10.5 a 20.0 (Knots);
– A análise e estudo dos ventos deve ser feita por fonte fidedigna, sob pena de tudo a posterior ficar comprometido;
– Correcto dimensionamento dos pavimentos (em asfalto ou betão armado) que servirão de pistas; JP(caso contrário- “retira-se”)

4- Influência do transporte aéreo na economia do país:
-O sistema de transporte aéreo engloba aeroportos, rotas, linhas aéreas, controladores de tráfego aéreo, pilotos, passageiros, etc.
-Existem pelo mundo fora, aeroportos onde circulam mais de 100 milhões de pessoas por ano;
– o transporte de carga por meio de aviões cresce vertiginosamente e é o mais Economico para distâncias maiores de 1000 km ( considerando o factor tempo);
– Esta Industria emprega o elevado número de pessoas com particular incidência para jovens.

5 -Analise do mapa aeroportuário de Angola:

Considerando o tema sobre o qual discorro, gostava de convida-los as seguinte reflexões:
a) a rede de aeródromos e aeroportos no nosso país apresenta uma boa distribuição territorial?

c) Como é feita a articulação entre o sistema aeroportuário e outras infraestruturas de transporte?( barcos, comboios, autocarros, táxis azuis e branco) e outros serviços privados de táxi mas com fim público?(Macon, Angoaustral, Morvic Táxi, Tura, etc?)

d) Os nossos aeroportos internacionais (Luanda, Catumbela) são concorrentes com outros aeroportos e rotas da região africana e do mundo?

e) Os preços dos bilhetes para viagens inter-províncias (pode constituir-se num elemento catalizador do turismo interno), são atrativos?
Ir a Cabinda (província cuja ligação com as restantes províncias do país é feito somente por via aérea), pode ser mais caro que ir à Namíbia ou África do Sul;

f)Qual é a avaliação que fazemos sobre o retorno financeiro (rentabilidade) e grau de satisfação dos cidadãos, com a exploração dos aeroportos e aeródromos construídos nos últimos 10 a 15 anos, sem perder de vista a qualidade no atendimento dentro e fora das aeronaves)?

Eng. Olívio Sacaia Fernando (Docente Universitário).

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments