- Publicidade -
Início* Entrevista com Sarchel NecesioEntrevista exclusiva - Megga Fofo

Entrevista exclusiva – Megga Fofo

- Publicidade -

RAIO X
Nome: Adilson Cunha
Data de nascimento: 30/08/1984
Naturalidade: Luanda 
Irmãos: 6 irmãs
Estado civil: Solteiro
Filhos:
Perfume: Gucci 
Estilo de roupa: Desportiva
Marca: Sou versátil 
Restaurantes: Cais de 4 
Álbum da sua vida: ( Depois de tudo)meu primeiro CD.
Video clipe da sua vida: Eu sou o Megga…meu primeiro video pertence ao meu segundo CD Só… (Não sozinho) 
Prato preferido: Funge de carne seca 
Hobbies: Composição musical, direcção artística 
Verão ou Inverno: Inverno 
Baunilha ou Chocolate: Nenhum 

PROFISSIONAL

Qual é historia do Megga no quadro da música angolana, em particular no hip hop?
Participei de um programa de rádio onde havia um concurso denominado “Big Show Cidade” cujo espaço era aberto essencialmente aos mcs, que ali podiam demostrar as suas capacidades liricas, em forma de free style. Destaquei-me tendo ido três vezes à final, ou seja todos os concursos em que participei obtive muitos bons resultados. Mas antes disso a minha historia já vem um pouco mais de trás ,como por exemplo ter trabalhado com o Matias Damásio com o “Café e Cola” um original do congolês Franco, Don Didi do então Esquadrão 8 com a música “My Nigger”,e para explorar mais o meu lado no que toca à composição trabalhei com Zoca Zoca, Pai Diesel e tantos outros… O “Big Show Cidade” foi sem dúvida uma montra que acabou por dar oportunidade a muita gente de mostrar o seu potencial,o seu talento,e a criatividade que cada um tinha como artista… E temos hoje muitos exemplos que é o caso do Boy G, Vui Vui, Demage, Mc, Extremo Signo, Cage One e tantos outros. 

Quais foram para si as causas (se assim se pode considerar), ou seja, a base para atingir o estrelato?

Penso que acima de tudo a teimosia. Não sou do tipo do que alguns criticos de rap definem como aqueles a quem interessa a fama como o centro de um caminho já percorrido, ou seja, o ser famoso apenas pelo ser famoso. Passei por momentos muito dificeis e o que canto tem mesmo a ver com o que vivo. Nem tudo é claro, porque um criador também acompanha a vida dos outros, mas essencialmente canto o que vivo,e costumo dizer que a verdade toca-nos como o vento, ou seja, quando é verdade, quando é puro, sente-se, não tem como enganar.

Sente que faltam mais programas do género para a evolução do estilo?

O ser humano é por natureza insatisfeito. Já temos alguns, mas faltam mais sim, até porque os poucos programas que temos são acima de tudo radiofónicos. Um estilo como o nosso, comparado com outros estilos que têm ainda mais que provar do que nós e já têm direito a programas de televisão, porque que é que o hip-hop ainda não tem?

De alguns álbuns que saíram e que o Megga ouviu estilo rap, alguns deles não corresponderam às suas expectativas?

Corresponder às expectativas é relativo, principalmente numa sociedade como a nossa. Em termos dos nossos meios de comunicação social, a relação com o músico existe em grande parte dos casos com base na conveniência, em esquemas não muito claros, na gasosa, no ser ou não ser amigo do locutor, do técnico de som, de ser ou não ser filho ou sobrinho do Sr. X, etc…. 

Vejamos, quantos e quantos bons albúns, independentemente dos estilos sairam com uma produção incrivel a todos os niveis,e não tocaram?

Ponto um, porque é que não tocaram? Ponto dois, será são tão maus em relação aos que tocam preferencialmente? Ponto três, que é a minha conclusão, ou não aceitaram entrar em esquemas como muitos artistas entram? Bem, eu falo mas também tenho consciência de que a maior parte das vezes a culpa é dos próprios artistas,as pessoas precisam de sobreviver, mas o certo é que não pode valer tudo, esta falta de consciência tem de ter um limite!

Na sua opinião, o hip-hop feito em Angola está a crescer ou a decair?

O hip-hop na sua vertente mais verdadeira, mais real está a decair, porque vejamos… trata-se de um movimento que engloba grafiteiros, b-boys, e mcis. Hoje em dia, só temos mcis que são os fazedores do rap neste caso. Temos poucos eventos, lembro-me de alguns organizados pelo Samurai, pelo Mc k, Cool Klever. E mais alguns outros que estão (e não levem a mal) desesperados a suportar as outras partes que complementam o hip hop,num circuito muito fechado. Deixe-me dizer que tenho saudades ainda do Centro Cultural da Universidade, onde funciona o Elinga Teatro, do auditório Rui Carvalho – que já nem sequer existe, do Centro Recreativo Morcego e da Feira N´Goma. Naquela altura sim, fazia-se hip hop; hoje não,as pessoas estão mais preocupadas com o dinheiro, com o estatuto, com o bem estar individual… ainda assim, no que toca ao rap cresceu, mal ou bem mas cresceu e continua a crescer a cada dia que passa.O hip-hop não.

Foi uma faixa sua que originou um dos grandes beefs do hip hop nacional entre os Kalibrados e Army Squad. Era esse o seu objectivo com aquele freestyle?
Águas passadas não movem moinhos, estão todos bem até já se falam e isso é o que interessa.

Os beefs em Angola são mais um reflexo do hábito de alguns de imitarem tudo o que vem dos vídeos clipes e americanos e do seu estilo de vida?
Penso que generalizadamente não, até porque se estivessem a imitar falavam da realidade americana e do estilo de vida americano. Mesmo assim, não descarto a ideia de que alguns o façam… e isso vai de encontro à minha opinião de que existem embora em pequena proporção.

Como viu a desavença do entre o Dj Tafinha e o Kid Mc?
Não ouvi nada sobre tal desavença, por isso excuso-me a comentar.

Qual é seu top 5 de mcs em angola? E os piores?
(risos), não contava com esta pergunta. Aliás perguntaste-me sobre beffs e já indirectamente queres que outros se sintam beffados, mas ok …Cool Klever, Kid Mc, Vui Vui, Boy G, e Extremo Signo.Já agora, qual é a sua opinião em relação aos piores?

O Megga já caiu no RC do Miguel Neto. A pergunta é direta e objectiva. Acha que o programa do Miguel Neto é didáctico e benéfico para o hip hop nacional?
Não. Definitivamente não!

Vários artistas nossos do hip hop já foram publicamente tachados como sem personalidade, sendo considerados meras cópias de celebridades do showbiz americano. Isso acontece em larga escala no nosso mercado? Se sim, entende que esse seja um dos motivos para a não valorização dos nossos artistas?

Todos nós sofremos influências em nossas vidas! Boa ou más, temos influências dos pais, dos irmãos das pessoas que nos acompanham, até do meio onde vivemos. Embora, além disso, cada um aprenda a moldar a sua personalidade e aí já depende muitas vezes do carácter e do esforço que cada um tem para consigo próprio seja qual for o papel que desempenhe ou a situação com que se depare na vida… quero com isso dizer que acho errado, que antes de sermos apenas o reflexo dos outros temos que ser nós…temos que ser sempre nós.

Que avaliação faz dos seus dois álbuns no mercado?

Boa. Primeiro o “Depois de tudo”, agora o “Só (não sozinho)”. Não é facil, (ainda por cima com os condicionalismos que vivi em ambos os albúns), mas estou de pé e muita coisa boa está para vir.

O substancial crescimento das vendas de CDs, expressa o aumento do poder aquisitivo dos fãs ou o aumento da qualidade dos nossos artistas?
(risos)Expressa o aumento da falta de qualidade de uma parte dos artistas. Mas porqué?… A maior parte dos cds que saiem são descartáveis,ou seja não duram muito tempo no mercado. Por um lado porque alguns, se não a maior parte, estão pura e simplesmente preocupados em vender, por outro a demanda é tanta que alguns fãs acabam por ser enganados pelas músicas que batem antes do album sair. Não sei se depois se arrependem por terem comprado. Acho ainda que é importante que as pessoas comecem a perceber a contradição em que às vezes colocam o artista. Se evolui dizem que não está bom,se começa a introduzir no seu estilo outras tendências,se calhar dizem que não está bom. Preso por ter cão e preso por não ter… Resultado, a maior parte das músicas que batem são más porque os fãs não exigem mais do artista,e acaba por acontecer que basta um estilo entrar na moda todo munda vai atrás dele e faz misturas com esse estilo apenas porque está a bater. São poucos os que até hoje conseguem introduzir novas formas de fazer música, mantendo ou melhorando o seu estilo, que acaba por ficar. Não desaparece ao fim de um mês dois como acontece com a maior parte dos músicos. É a maka do disco para a fama e do disco que vai para além do tempo.

Projectos futuros, existe no horizonte um novo CD?
Não acha que ainda é madrugador falar de um proximo cd? Tirei este último album há 5 meses, cada disco tem o seu caminho. Ou acabo por confundir quem me ouve. Tenho de dar tempo a que as pessoas ouçam, entendam, se quiser “mastigar”este último cd que é o”Só…(não sozinho).Vou é gravar agora uma nova música, por simples diversão, mas disco não! Agora, estou disponivel como sempre a colaborar com colegas.

PESSOAL

Tem namorada? Ela tem sabido lidar com as situações decorrentes de ser figura pública?
Não tenho namorada permanente…
O que você fez na noite passada?
Mesmo com namoradas ocasionais, nunca vos diria…

Qual é os nomes de casa que é tratado?

Arito ou Aidilson. Qual o dia do calendário que vocês mais esperam com alguma ansiedade?
Ehehheh… é preciso algum dia especial para que algo aconteça?
Quais são as três últimas músicas que você fez download?
Não faço downloads.

Qual o time pelo qual vocês torcem?
Sou sempre do Benfica.

O dinheiro é a coisa mais importante na vida?

Não nego a importância do dinheiro,mas não vale tudo.

O que seria capaz de fazer por ciúmes?
Não sei, as reacções são sempre imprevisiveis.

Existe algum lugar onde esteve e gostaria de poder voltar? Qual e por quê?
Não,não existe ainda,mas acho que qualquer sitio deve ser melhor que esta Luanda de hoje…

Já foi assediado?
Já.

Como é tratado por familiares ou amigos próximos?
Muitíssimo bem!

Com que idade foi o seu primeiro beijo?
Já não me lembro…

TEMAS SOCIAIS
Para você os deficientes mentais, os chamados loucos, devem ser banidos da sociedade?
Banir seja quem for de uma sociedade é má solução. Que do pouco que sei da história dos homens, vem de sistemas desumanos como foram o fascismo ou o nazismo. O mundo hoje já tem soluções para muitos problemas, também nesta área. Qualquer ser humano, até prova em contrário é um ser humano e tem direito a ser tratado com dignidade. E também com assistência médica, gratuita até, se não tiver dinheiro para tal.
Que atitude tomaria diante de uma situação de roubo?
É dificil responder, não sabendo de que espécie de roubo estamos a falar… Violência doméstica Não é um facto isolado. Normalmente é fruto de uma violência ainda mais grave, que ultrapassa a questão dos géneros, ou seja refiro-me a sociedades que são, por si só, geradores de violência a todos os niveis…


- Publicidade -spot_img
Mais recentes
Artigos relacionados
- Publicidade -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments